14 de novembro de 2009

Luz diante de nós…

O dia do Senhor virá como um ladrão,
Durante a noite (1Tes, 5, 4)
É preciso estar sempre pronto para acolher o Senhor.
É preciso estar sempre pronto, como as virgens prudentes,
Que se tinham abastecido de azeite para as suas lâmpadas.
Como os servos que esperam pelo amo,
Prolongando a sua vigília.
É preciso estar preparado para prestar contas, como aqueles que receberam de seu amo, antes da partida deste, talentos para fazer render.
Porque não somos da noite, nem das trevas,
Devemos viver na luz (1Tes 5,5).
Não durmamos, pois, como os outros, mas vigiemos
E sejamos sóbrios (1Tes5,6).
O nosso destino não é a cólera, mas o acolhimento do Pai,
Acolhimento caloroso para o pobre filho pródigo que regressa a casa.
É preciso saber que Cristo inscreveu os nossos nomes no Livro da Vida.
Cristo ressuscitou, está à direita do Pai,
E intercede por nós.
Se o renegar-mos, renegar-nos-á,
Mas podemos ter a certeza que nenhuma criatura poderá separar-nos do amor de Deus,
Manifestado em nosso Senhor Jesus Cristo (Rm 8, 39).
Enquanto esperamos o Dia, devemos glorificar o Pai, dando muito fruto (Jo 15, 8).
Aguardamos novos céus, uma nova terra,
Nos quais habitará a justiça (2Pd 3, 13),
E só o vencedor será revestido de túnicas brancas.
Paulo compara a vida a uma corrida no estádio,
Onde qualquer concorrente se abstém de tudo (1Cor 9, 25).
Diz aos seus cristãos que não passem os dias
A olhar para as nuvens, para não perderem a chegada de Jesus:
Nós vos ordenamos e recomendamos,
No Senhor Jesus Cristo, que trabalhásseis tranquilamente,
Para comerdes um pão que vos pertença (2Tes 3, 12).
Deve-se fazer mais ainda:
É preciso trabalhar para ter que repartir
Com o necessitado (Ef 4, 28).
Pensai no Senhor, confrontado com o balanço dos nossos dias com a sua regra de vida.
Bastar-nos-á dizer: «Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome?» (Mt 7, 22).
«Quando te vimos com fome, com sede ou sem abrigo?» (Mt 25, 44).
Ao vencedor fá-lo-ei sentar comigo
No meu trono, tal como eu, que também fui vencedor
E me sentei com meu Pai no trono dele (Ap 3, 21).
Eis que vem um Dia
Ardente como uma fornalha,
E todos os soberbos, todos os que cometem o mal,
Serão como a palha (Mal 4, 1).

Marcel Denis
Para Ti, Senhor…

Descobrir o essencial!

Diante do Senhor que vem, reconhecemos que os nossos caminhos não são os seus (cf. Is 55, 9) e somos impelidos a converter-nos, a mud...