10 de novembro de 2009

Que Deus!



Ninguém é anónimo diante de Deus:



cada um de nós é um “tu” absolutamente único, singular, objecto de um amor infinito.


Bruno Forte, As quatro noites da salvação.

2 comentários:

  1. Olá! Está tudo a correr bem aí por Águeda?
    Braga, está mais triste com a ausência do JAC.
    Gosto muito deste bocadinho de poema; até me sinto um ser especial!
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. Olá Zita

    por aqui corre tudo de vento em pompa.

    ResponderEliminar

Semear e despertar a esperança!

Depois de muitos dias a ver aquela senhora a fazer aquilo o homem ganhou coragem e perguntou:  -Bom dia! Porque é que todos os dias ...