16 de março de 2010

28.º dia de Quaresma: Deus está por nós!


Naquele tempo, por ocasião de uma festa dos judeus, Jesus subiu a Jerusalém. Existe em Jerusalém, junto à porta das ovelhas, uma piscina, chamada, em hebraico, Betsatá, que tem cinco pórticos. Ali jazia um grande número de enfermos, cegos, coxos e paralíticos. Estava ali também um homem, enfermo havia trinta e oito anos. Ao vê-lo deitado e sabendo que estava assim há muito tempo, Jesus perguntou-lhe: «Queres ser curado?» O enfermo respondeu-Lhe: «Senhor, não tenho ninguém que me introduza na piscina, quando a água é agitada; enquanto eu vou, outro desce antes de mim». Disse-lhe Jesus: «Levanta-te, toma a tua enxerga e anda». No mesmo instante o homem ficou são, tomou a sua enxerga e começou a caminhar. Ora aquele dia era sábado. Diziam os judeus àquele que tinha sido curado: «Hoje é sábado: não podes levar a tua enxerga». Mas ele respondeu-lhes: «Aquele que me curou disse-me: ‘Toma a tua enxerga e anda’». Perguntaram-lhe então: «Quem é que te disse: ‘Toma a tua enxerga e anda’». Mas o homem que tinha sido curado não sabia quem era, porque Jesus tinha-Se afastado da multidão que estava naquele local. Mais tarde, Jesus encontrou-o no templo e disse-lhe: «Agora estás são. Não voltes a pecar, para que não te suceda coisa pior». O homem foi então dizer aos judeus que era Jesus quem o tinha curado. Desde então os judeus começaram a perseguir Jesus, por fazer isto num dia de sábado (Jo 5, 1-3a.5-16).

No caminho para a Páscoa é progressiva a revelação do nosso Deus. Depois dos convites fortes, directos e incisivos à conversão e à penitência, a liturgia encarrega-se, com o correr dos dias, de nos apresentar um Deus que quer o humano. E quer de uma maneira inédita e inaudita. É Deus que sai de Si para vir ao encontro do homem pecador que se abre à misericórdia. O Evangelho chamado por uns do Filho Pródigo e por outros do Pai Rico em Misericórdia é um harpejo belíssimo nesse ponto.

A cura do enfermo de Betsatá, que representa todas as nossas doenças, males e pecados, por intermédio de Jesus vem ainda mais acentuar essa característica do nosso Deus: Ele não vem para os sãos, mas para os doentes, não vem para os puros e os santos, mas para os pecadores. Vem para mim e para ti!

Jesus insurge-se contra o legalismo e o farisaísmo em nome do bem maior da pessoa humana. E isso causar-lhe-á a morte que, como sabemos, é redentora e salvadora.

É fantástico que a meio deste caminho quaresmal, de deserto, de conversão, recebamos esta mensagem positiva e de esperança: Deus está por nós e só quer o nosso bem. Estamos nós dispostos a que Deus nos faça bem?

Rezo, por isso, com as palavras do salmo:

Deus é o nosso refúgio e a nossa força,
auxílio sempre pronto na adversidade.
Por isso nada receamos, ainda que a terra vacile
e os montes se precipitem no fundo do mar.



Os braços dum rio alegram a cidade de Deus,
a mais santa das moradas do Altíssimo.
Deus está no meio dela e a torna inabalável,
Deus a protege desde o romper da aurora.



O Senhor dos Exércitos está connosco,
o Deus de Jacob é a nossa fortaleza.
Vinde e contemplai as obras do Senhor,
as maravilhas que realizou na terra.


Com renovação do pedido de desculpa pelo meu atraso não esqueçamos que o nosso caminho continua. E não tem fim. Agradeço desde já o enlevo e a dedicação que cada um tem posto nesta iniciativa. É para o bem de todos. Obrigado!

28º dia. Amor de Deus
35º dia. Teresa desabafos
36º dia. A Capela

Descobrir o essencial!

Diante do Senhor que vem, reconhecemos que os nossos caminhos não são os seus (cf. Is 55, 9) e somos impelidos a converter-nos, a mud...