4 de janeiro de 2014

Epifania do Senhor. Dois poemas




Epifania

Guiados na noite escura
Vão os magos à procura.
A estrela lhes anuncia
O lugar de Jesus, de José e de Maria.

No caminho surgem contratempos
Tempestades, desertos, marés e ventos.
A luz que do alto brilha e alumia
Enche de segurança, de paz e de alegria.

Ó mistério de amor admirável
Deus tão pequenino e tão frágil,
Nascido para ser do mundo a luz.

Ofertamos, sem cessar, nosso coração,
Fazemos dele símbolo da gratidão
A Deus Menino, Cristo Jesus.



Epifania de Deus

Nasceu em Belém o Menino Jesus
Anunciado aos magos por uma luz.
Luz de uma beleza cintilante
De uma estrela especialmente brilhante.

A caminho de Belém
Encontraram o rei Herodes
Que pediu toda a informação
Daquele que dizem ser a Salvação.

Fizeram-se novamente à estrada
Seguindo confiantes a estrela.
Quando viram de Deus o presente,
Aquele Menino de ternura resplandecente,
Prostrados rezaram,
Com fé adoraram,
E ao Menino que é do mundo o tesouro
Ofereceram mirra, incenso e ouro.

De coração cheio, a transbordar,
Com a história da vida para contar,
Sem passar por Herodes, os magos voltaram
Para sempre mudados por Aquele que adoraram.



Pe. JAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

A Deus o que é de Deus!

De Deus é a terra é tudo o que ela contém, de Deus é o homem, aquele homem que é como um sopro que passa, mas que também é um pouco infe...