4 de janeiro de 2014

Epifania do Senhor. Dois poemas




Epifania

Guiados na noite escura
Vão os magos à procura.
A estrela lhes anuncia
O lugar de Jesus, de José e de Maria.

No caminho surgem contratempos
Tempestades, desertos, marés e ventos.
A luz que do alto brilha e alumia
Enche de segurança, de paz e de alegria.

Ó mistério de amor admirável
Deus tão pequenino e tão frágil,
Nascido para ser do mundo a luz.

Ofertamos, sem cessar, nosso coração,
Fazemos dele símbolo da gratidão
A Deus Menino, Cristo Jesus.



Epifania de Deus

Nasceu em Belém o Menino Jesus
Anunciado aos magos por uma luz.
Luz de uma beleza cintilante
De uma estrela especialmente brilhante.

A caminho de Belém
Encontraram o rei Herodes
Que pediu toda a informação
Daquele que dizem ser a Salvação.

Fizeram-se novamente à estrada
Seguindo confiantes a estrela.
Quando viram de Deus o presente,
Aquele Menino de ternura resplandecente,
Prostrados rezaram,
Com fé adoraram,
E ao Menino que é do mundo o tesouro
Ofereceram mirra, incenso e ouro.

De coração cheio, a transbordar,
Com a história da vida para contar,
Sem passar por Herodes, os magos voltaram
Para sempre mudados por Aquele que adoraram.



Pe. JAC

Entrevista ao "De Colores"

Quando chega um qualquer dissabor fixo-me naquele primeiro amor que me fez firmar a vida toda em Cristo, transformando as dificuldades e...