29 de novembro de 2014

Dois poemas de Advento!



Neste advento, tu podes renascer!

Anestesiados, vamos passando
Como se tudo se resumisse a passar
E não nos colocamos, inquietos, a vigiar...

Atordoados pelo barulho voraz
E, às escuras, no meio de tanta luz
Não ouvimos a voz suave de Cristo Jesus.

Eis que chega, sempre novo, o advento
Como página em branco de outro tempo
Para elevar a Deus a nossa alma e oração.

Pode o mar agitar-se e a terra estremecer
Que aquilo que está para acontecer
Será a grandiosa e inaudita novidade...

Porque o que há de mais divino
No nosso tempo e no nosso mundo
"É viver cada segundo, como nunca mais!"

De rosto erguido e mãos levantadas
Elevemos a nossa voz para dizer:
Neste advento, tu também podes renascer!


Uma vinda que traz Vida!

Vigiar não é somente estar à espera.
É estar atento de coração,
É ter a força de quem persevera,
É estar alerta para a missão.

Pode até ser um dilúvio
Ou apenas o passar de um rio...
Se não estiveres vigilante
Não saberás quão é importante.

É assim a vinda do Senhor,
Um imenso acto de Amor.
Tão subtil, inquietante e inesperado
Só perceptível a quem estiver preparado.

É isto mesmo o Advento,
Tempo para estar atento
À vinda do Filho do homem,
À Vida plena que Nele vem.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Alma que espera...

A esperança é sempre uma boa aposta se for esperança em Deus. Ele é que é a fonte da esperança e Ele não desilude! Eu confio...