19 de março de 2015

Tanto Amor! (Em Dia do Pai)


/>
Tantas vezes me ausentei
procurando em atalhos
a felicidade verdadeira.

Iludido, pensei que a encontrei,
mas depressa constatei
que era pura falsidade.

Por terra caído
levanto-me, confiante
e volto a Ti de novo.

Esperas-me de braços abertos
– bem sei –
volte quando voltar, lá estarás
para me abraçar.
E não ficas por aí:
fazes festa comigo,
festa de encontro e acolhimento
festa de família,
porque afinal és meu Pai
e eu serei sempre Teu filho.

Eis-me aqui sempre de novo.

Descobrir o essencial!

Diante do Senhor que vem, reconhecemos que os nossos caminhos não são os seus (cf. Is 55, 9) e somos impelidos a converter-nos, a mud...