31 de outubro de 2015

A morte (Santo Agostinho)




A morte não é nada. Eu somente passei para o outro lado do Caminho. Eu sou eu, tu és tu. O que eu era para ti, eu continuarei a ser. Dêem-me o nome que sempre me deram, falem comigo como sempre fizeram. Vós continuais a viver no mundo das criaturas, eu estou a viver no mundo do Criador. Não utilizem um tom solene ou triste, continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos. Rezem, sorriam, pensem em mim. Rezem por mim. Que o meu nome seja pronunciado como sempre foi, sem ênfase de nenhum tipo. Sem nenhum traço de sombra ou tristeza. A vida significa tudo o que ela sempre significou, o fio não foi cortado. Porque eu estaria fora dos seus pensamentos, agora que estou apenas fora das suas vistas? Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do Caminho... Tu que aí ficaste, segue em frente, a vida continua, linda e bela como sempre foi.

(Santo Agostinho)


Pe. JAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

A Deus o que é de Deus!

De Deus é a terra é tudo o que ela contém, de Deus é o homem, aquele homem que é como um sopro que passa, mas que também é um pouco infe...