27 de novembro de 2008

Amália, o Filme

Realizador, produtor e actriz principal presentes
Antestreia de “Amália, o Filme”
segunda-feira no Bragashopping

Texto: José António Carneiro

“Amália, o filme”, a primeira biografia ficcionada da diva do fado, tem antestreia marcada para o Bragashopping, esta segunda-feira, a partir das 21h30. A sessão contará com a presença do realizador Carlos Coelho da Silva, do produtor Manuel da Fonseca e da actriz principal Sandra Barata Belo, daquele que é o filme português mais caro de sempre, orçado em três milhões de euros, que chega às salas de cinema portuguesas, na sexta-feira, dia 4 de Dezembro.
Produzido pela Valentim de Carvalho Filmes, o filme conta com a participação financeira da RTP, que vai exibir posteriormente a longa-metragem em versão mini-série.
Entre os locais de filmagens contam-se Aveiro, Régua e Espinho. Além disso, foram feitas imagens em Nova Iorque, ainda que todos os cenários tenham sido recriados em Portugal.
Sandra Barata Belo, de 29 anos, é a protagonista do filme e lidera um elenco de 45 actores. De Amália, a jovem actriz estudou os gestos, o comportamento, a cadência do canto e da fala, descobriu-lhe a timidez e a insegurança e as variações entre a alegria e a tristeza nos anos que o filme abrange, entre 1950 e 1980.
A actriz leu ainda biografias, recortes de imprensa e testemunhos escritos, viu filmes e documentários e falou com Estrela Carvas, que foi secretária e confidente de Amália Rodrigues.
De salientar que neste filme, nos momentos de interpretação de fados, a voz de Sandra Barata Belo será dobrada pelas gravações de Amália Rodrigues.
«Este é um filme comercial, mas acho que tem coisas interessantes, acho que serve a um público alargado, acho que serve aos eruditos e serve ao senhor da mercearia que sempre gostou da Amália. É um filme sobre a fadista, portanto é um filme para as pessoas irem ver», disse recentemente a actriz.
Além de Sandra Barata Belo, o filme conta com as participações de Carla Chambel, Leonor Seixas, António Pedro Cerdeira, Ana Padrão, Ricardo Carriço, João Didelet, Ricardo Pereira e Susana Mendes.

Distribuição internacional
garantida
«Amália é uma figura universal e tem um estatuto que ultrapassa as fronteiras portuguesas, está editada em todo o mundo e o fado é hoje um género de valor muito importante, que se encaixa na world music», disse o produtor, em declarações à Lusa.
Por isso, a internacionalização do filme é um dos principais objectivos definidos e até ao momento conseguidos. «As nossas perspectivas de internacionalização, neste momento, não podiam ser mais optimistas», acrescentou.
O produtor realçou o facto de se tratar «da pré-compra de um filme português, com base num trailer de dois minutos, num mercado ameaçado pela crise mundial».
China, Holanda, Bélgica, Luxemburgo, Argélia, Marrocos, Tunísia e 15 países do Médio Oriente, entre os quais o Egipto, Emirados Árabes Unidos, Líbano e a Arábia Saudita, garantiram já a distribuição do filme, que se baseia na vida da mais internacional voz portuguesa.
As vendas internacionais realizaram-se no American Film Market (AFM 2008) que decorreu em Los Angeles, e onde a Valentim de Carvalho Multimédia, distribuidora do filme, esteve representada.
«Além dos contratos já garantidos, “Amália, o Filme” despertou um elevado interesse por parte de distribuidores presentes no AFM 2008, estando em curso negociações com o Brasil, França, Itália, Estados Unidos, Espanha, Israel e Japão», refere o produtor.

in Diário do Minho

Descobrir o essencial!

Diante do Senhor que vem, reconhecemos que os nossos caminhos não são os seus (cf. Is 55, 9) e somos impelidos a converter-nos, a mud...