13 de janeiro de 2009

Relíquias de Santa Margarida Maria de Alacoque

De 12 a 16 de Junho
Braga, Vila das Aves e Póvoa de Varzim
acolhem relíquias de Margarida Maria

José António Carneiro

Os dois mosteiros da Ordem da Visitação de Santa Maria existentes na Arquidiocese de Braga e a igreja do Sagrado Coração de Jesus na Póvoa de Varzim vão acolher, entre os dias 12 e 16 de Junho, as relíquias de Santa Margarida Maria Alacoque. A informação foi confirmada pelo padre Dário Pedroso que é o responsável do Apostolado da Oração na diocese.
Conforme a notícia avançada pelo Diário do Minho, as relíquias desta monja que recebeu uma série de revelações sobre a consagração e amor ao Sagrado Coração de Jesus vão estar cerca de dois meses em Portugal, por causa da celebração dos 50 anos da inauguração do Santuário de Cristo-Rei, edificado junto ao Rio Tejo, em Almada.
O sacerdote jesuíta, contactado pelo DM, garantiu que no programa da visita das relíquias a Braga era imperioso incluir os dois mosteiros da Ordem da Visitação de Santa Maria que existem na diocese. Deste modo, as comunidades religiosas sediadas na Rua Irmãos Roby, em Maximinos (Braga), e na Rua da Visitação, em Vila das Aves (Santo Tirso) terão a oportunidade de pelo menos durante uma noite poderem ter as relíquias para «rezar e gozar».
O terceiro centro que vai receber as relíquias de Santa Margarida Maria é a Basílica do Sagrado Coração de Jesus, na Póvoa de Varzim. Para o padre Dário Pedroso esta escolha é compreensível já que se trata de um dos maiores centros de toda a Arquidiocese de devoção ao Sagrado Coração de Jesus, tão estimado e querido pela monja visitandina.
Desta forma, com a passagem em três zonas diferentes da Arquidiocese pretende-se que todos os cristãos tenham a possibilidade de participar nas celebrações que acontecerão nestes locais.
A respeito, precisamente, das celebrações o sacerdote jesuíta que é Vigário Episcopal dos Religiosos deu a conhecer que o Santuário de Cristo-Rei está incumbido da missão de facultar um guião para todas as dioceses portuguesas.

Descobrir o essencial!

Diante do Senhor que vem, reconhecemos que os nossos caminhos não são os seus (cf. Is 55, 9) e somos impelidos a converter-nos, a mud...