25 de março de 2009

Celeirós espera multidão para reviver Passos de Cristo

A comunidade paroquial de Celeirós, em Braga, celebra este domingo, a partir das 15h00, a já habitual Procissão dos Passos e espera receber milhares de pessoas para reviverem os últimos momentos da vida de Jesus Cristo. Segundo o pároco, padre Fernando Apolinário Marques, a paróquia está empenhada em mais uma edição da procissão que acontece, ininterruptamente, há 68 anos.
Para que esta manifestação de fé possa sair à rua, mais de 400 pessoas envolvem-se na dinamização. Para os quadros bíblicos relativos à Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo são precisas mais de 80 pessoas, os figurados são mais de 150 e, a juntar a todos estes, há ainda os escuteiros e as guias – quase uma centena – que se envolvem na organização. Finalmente há outras pessoas voluntárias para pegar nos andores, bandeiras, estandartes, lanternas e cruzes.
Segundo o sacerdote esta procissão, em Celeirós, tem vindo a crescer nos últimos anos, quer em relação às pessoas que envolve e mobiliza, quer em relação ao número de pessoas que nesse dia visitam Celeirós, quer ainda em relação ao tempo de duração – actualmente cerca de três horas.
Com o objectivo de reviver e recriar o mistério central da fé cristã – Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo –, esta celebração tem um cunho espiritual e litúrgico dentro da caminhada para a Páscoa. Assim, de modo a que a comunidade viva esse momento da melhor forma possível, realiza-se um tríduo preparatório que começa hoje e termina sábado.
Contactado pelo Diário do Minho, o padre Fernando Apolinário Marques disse que a procissão deste domingo tem nos três sermões os momentos mais significativos. O pregador volta a ser o padre João Alberto Correia, pároco de Frossos e professor de Bíblia na Faculdade de Teologia.
A par dos sermões, o sacerdote coloca a representação de alguns quadros bíblicos mais relevantes, como é o caso da entrada solene em Jerusalém, da Última Ceia, da traição no Horto das Oliveiras e da prisão, assim como o já tradicional encontro de Nossa Senhora das Dores com o Senhor dos Passos e, por fim, a crucifixão e a ressurreição de Jesus.
A procissão sai da igreja paroquial às 15h00 e termina no mesmo local pelas 18h00. Como intróito, no sábado à noite, às 21h00, realiza-se uma procissão de velas com o andor de Nossa Senhora das Dores desde a igreja paroquial até à capela do Senhor da Paciência. Durante esta semana há tempo para confissões e ainda Eucaristia às 20h00.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A Deus o que é de Deus!

De Deus é a terra é tudo o que ela contém, de Deus é o homem, aquele homem que é como um sopro que passa, mas que também é um pouco infe...