6 de março de 2009

Semana Santa de Famalicão alia tradição com novidade



As celebrações da Semana Santa de Vila Nova de Famalicão aliam, este ano, a tradição com a novidade. Esta é, pelo menos, a vontade dos responsáveis da Confraria das Santas Chagas e da paróquia de Santo Adrião, que promovem diversas iniciativas religiosas e culturais para atrair, em primeiro lugar, os famalicenses e só depois pensar no turismo.
A aliança entre a tradição e a novidade será feita nas diversas celebrações previstas com uma conexão e comunhão à temática pastoral da Arquidiocese de Braga e à celebração do Ano Paulino. Na linha do que se fez em anos anteriores, como no triénio dedicado à família, confraria e paróquia estão empenhadas em reviver as tradições da Quaresma, Semana Santa e Páscoa com o enriquecimento e com a novidade que advém dos temas e planos pastorais, concretamente a Palavra de Deus e a figura de São Paulo.
O juiz da Confraria das Santas Chagas afirmou, na conferência de imprensa para a apresentação do cartaz das celebrações deste ano, que o objectivo primordial desta organização é levar as pessoas a viver da melhor forma possível a Quaresma e as tradições que envolvem a Semana Santa e a Páscoa. José Pedro Sousa garantiu aos jornalistas que tudo está a ser feito para que as pessoas possam participar activamente nas celebrações, e para tal poderá vir a ser elaborado um prospecto para entregar às pessoas que, nas ruas da cidade, assistem às procissões nocturnas.
Nesta mesma linha, o padre Francisco Carreira, pároco, com o padre Paulino Carvalho, de Santo Adrião, Brufe e Cavalões, defendeu que, em primeiro lugar, pretende-se mobilizar e motivar as pessoas da cidade de Famalicão, concretamente os paroquianos e só depois se poderá pensar em questões turísticas e no que fazer, em vários âmbitos, para chamar visitantes à cidade.
Com a finalidade de potenciar uma melhor vivência das celebrações relativas aos últimos passos de Cristo, José Pedro Sousa disse também que a comissão organizadora vai advertir os moradores do centro da cidade para que coloquem colchas ou motivos decorativos nas janelas das suas casas. «Como no Natal se embelezam as ruas, também neste tempo, em que se prepara e comemora a Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo, era importante pôr a cidade mais bonita», revelou o juiz da Confraria das Santas Chagas, que reconheceu neste âmbito «a palavra importante» que tem a autarquia.
Além do apoio da Câmara, os organizadores contam com os patrocínios da Junta de Freguesia, da Associação Comercial de Famalicão e Gestor Urbano. O padre Adelino Costa, a Artave, o Orfeão Famalicense, os coros paroquiais, os escuteiros, as guias, a catequese, as confrarias, as forças de segurança e os bombeiros figuram igualmente na lista dos colaboradores das diversas iniciativas programadas.
Sobre os bombeiros, e respondendo à questão de um jornalista sobre a participação das duas corporações da cidade nas procissões, José Pedro Sousa garantiu que ambas foram convidadas e que depende apenas dos responsáveis de cada uma decidir participar ou não. «Não sabemos ainda se teremos uma, duas ou nenhuma, mas nós convidámos as duas», frisou, dando nota que com a comissão organizadora «a questão está sanada», tendo sido feita, inclusivamente, uma reunião entre todas as partes. «O combinado, até ao momento, é que uma participe na Quinta-feira [Santa] e outra na Sexta», rematou o juiz da confraria.

Arcebispo e Bispo Auxiliar presidem às procissões
Com um orçamento na ordem dos cinco mil euros, a Semana Santa em Famalicão não difere das iniciativas de anos anteriores. Assim, do ponto de vista das celebrações religiosas, o destaque vai para a procissão do “Ecce Homo”, na Quinta-feira Santa, presidida pelo Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, e para a procissão do Enterro do Senhor, na Sexta-feira Santa, presidida por D. António Couto. Estes dois dias ficam ainda marcados pela Missa da Ceia do Senhor com a cerimónia do Lava-pés, na antiga igreja matriz, às 18h30 de quinta-feira, e com a celebração da Paixão e Morte do Senhor, na mesma igreja, às 15h00 do dia seguinte.
Todavia, a chamada “Semana Maior” começa no dia 5 de Abril, com a bênção dos ramos, na antiga igreja matriz, às 9h30, seguida de procissão para a nova matriz onde haverá Eucaristia às 10h30.
Antes do Domingo de Ramos, acontecerá a Via-sacra, no dia 3 de Abril, com saída da antiga matriz às 21h30, para percorrer as principais artérias da cidade.
No Sábado Santo, às 21h00, começa a Vigília Pascal na matriz nova e, no Domingo de Páscoa, como habitualmente, a visita pascal sai à rua com 20 compassos, a partir das 9h00. Para as 12h30 está prevista a conclusão da visita com a Eucaristia, que terá lugar na igreja matriz nova, às 12h30.
Do ponto de vista cultural, o cartaz da Semana Santa de Vila Nova de Famalicão fica completo com dois concertos: o primeiro, no dia 2 de Abril, às 21h30, pela orquestra Artemave, na antiga igreja matriz, e o segundo, da responsabilidade da Câmara Municipal, a realizar na Casa das Artes.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A Deus o que é de Deus!

De Deus é a terra é tudo o que ela contém, de Deus é o homem, aquele homem que é como um sopro que passa, mas que também é um pouco infe...