19 de junho de 2009

Sou feliz quando…


Amanhã o meu grupo da catequese celebra a Festa das Bem-aventuranças. Partilho o que lhes vamos oferecer, junto ao diploma...


Sou feliz quando sou pobre,

Quando não me apego ao material;

Assim sou livre e estou disponível

E comprometo-me na felicidade dos outros.

 

Sou feliz quando no coração tenho pureza,

Quando os meus critérios

São orientados pela ternura e amizade

Contribuindo para uma harmonia universal.

 

Sou feliz quando me comprometo com a justiça,

Se me torno defensor dos injustiçados,

Dos sofredores e excluídos

Que, felizmente, são os Teus preferidos.

 

Sou feliz quando sou manso,

Quando sou prudente nas relações,

Não reaccionário e primário

Quando pondero e uso de prudência.

 

Sou feliz quando sou misericordioso,

Quando perdoo o que me ofende,

Para ser perdoado quando ofendo

Quando do meu íntimo saem atitudes

De clemência, compaixão e amor

Por todos as criaturas de Deus.

 

Sou feliz quando promovo a paz,

Quando instauro para mim

A obrigação de lutar pela paz

E quando a procuro viver nas relações todas.

 

Sou feliz quando choro,

Quando sofro tantas feridas

Unidas ao sofrimento redentor de Cristo,

Quando sinto, vejo e aceito

O choro dos irmãos

E ajudo à sua consolação.

 

Sou feliz quando sou perseguido

Por causa de uma vida digna à imagem de Jesus,

Quando me olham de lado

Por viver iluminado pela luz de Deus.

 

Sou feliz sempre,

Seja qual for a minha situação,

A minha necessidade ou tribulação,

Logo que esteja com Jesus.

 

Sou feliz porque deixo que sejas Tu o meu refúgio,

O meu porto seguro,

O meu conforto, o meu abraço,

O meu sustento e a minha vida

O meu alimento e o meu guia.

 

Sou feliz quando és o meu centro

Que me deixo centrar em Ti;

 

Sou feliz até na morte

Se o meu sentido tem a tua orientação

Que leva à ressurreição e à vida.

 

Sou feliz, Jesus,

Porque aceito a Tua proposta de felicidade.

 

inédito

José António Carneiro

Descobrir o essencial!

Diante do Senhor que vem, reconhecemos que os nossos caminhos não são os seus (cf. Is 55, 9) e somos impelidos a converter-nos, a mud...