16 de dezembro de 2009

III Domingo do Advento - a passos largos para o Natal



O Inverno vai adiantado
Mas é necessário esperar a primavera.
As flores e os frutos voltarão
Do deserto e da aridez há-de jorrar água viva.
A solidão há-de florir
E cobrir-se de alegria.

É urgente dar oportunidade à esperança:
Esperar com paciência
Aquele que já está no nosso meio.

Ele anda por aí e não o vemos.
Mas esperemo-Lo
E alcançaremos o dom maravilhoso da sua presença.

Vivamos unidos a Ele
Na certeza de que um dia sem Ele
É deixar-nos morrer.

Alegremo-nos, Ele está connosco.
É Emanuel e virá de novo para não mais nos deixar
Porque nunca desiste de nós
E procura-nos em todos os lugares.

JAC 2008
____________________________
Ide


Uma ordem, um pedido, uma missão!
Contar o que vemos, o que ouvimos
é a proposta que fazes, Senhor!


Como a Jeremias o Senhor pergunta: “Que vês tu?”
E eu respondo: vejo lama, lodo, lamaçal
destruição e guerra, miséria e fome.
Vejo caos.


Sim Senhor, vejo isso tudo!


Mas vejo a esperança que vem,
“vejo um ramo de amendoeira”
Vejo algo a germinar,
vejo cegos que vêem, vejo coxos a andar,
surdos que ouvem e mudos que bradam em alta voz.


Vejo um mundo novo a nascer, a partir de Ti.
Vejo a esperança,
a possibilidade de um futuro novo, uma nova ordem.


Vejo um reino que nasce e renasce
onde os pequenos são grandes e os débeis e frágeis são poderosos.


É o teu reino, Senhor,
é esse que queremos anunciar ao mundo
essa boa notícia a despontar e a florir na nossa vida.


JAC 2007

6 comentários:

  1. São de alegria, esperança, vida nova, estes teus belos poemas!
    Bem-hajas!

    ResponderEliminar
  2. Obrigado Fá

    Mas às vezes estou a chorar por dentro...

    ResponderEliminar
  3. suas palavras me enchem de esperança em Deus. Em querer buscar cada vez mais esse Deus vivo dentro de mim. Uma força e uma fé que não sabemos explicar, apenas sentir e de alguma forma passar para os outros que Ele existe e está a nos amparar, basta acreditar!

    "...E eu respondo: vejo lama, lodo, lamaçal
    destruição e guerra, miséria e fome.
    Vejo caos..."

    Eu vejo tudo isso também.... mas lá no final eu vejo o amor e sinto uma esperança no meu coração, com a certeza que Deus nos resgatará e nos livrará de todo o mal que queira avançar em nós. Pois acredito em uma Nova Civilização, em um novo Reino guiado pelo nosso Senhor Cristo Rei! Por isso que eu quero lutar combater o bom combate, anunciar as boas novas de Deus porque sei que Ele virá!


    abraços fraternos,

    suas palavras me encheram de vida nova,

    obrigado

    Gisele

    ResponderEliminar
  4. olá zé antonio lindo poema ...
    sabes disses-te a fá que as vezes tás a chorar por dentro , e por isso quero te dizer para teres paciençia , tudo vem no tempo certo , no tempo do senhor ..
    sabes qual é a iniciativa que eu falo no blog?
    é o nosso patronato ... tamos todos a ajudar a angariar fundos ..
    jinhos ...

    ResponderEliminar
  5. Olá Teresa
    Fico feliz. Quero o melhor para o Patronato.
    Para todos aí. Fui feliz durante dois anos que estive por aí.

    ResponderEliminar
  6. "Que vês tu?" Hoje vejo: tristeza, saudade, desilusão!

    ResponderEliminar

Alma que espera...

A esperança é sempre uma boa aposta se for esperança em Deus. Ele é que é a fonte da esperança e Ele não desilude! Eu confio...