15 de dezembro de 2009

Luz da Páscoa é acesa no Natal



O frio de Dezembro propicia a reunião da família, apontando para o dia 25. Mês de fundamental importância porque celebramos o Nascimento do Menino Deus, que vindo ao mundo na fragilidade da natureza humana se aproxima de nós para nos elevar até à sua altura e estatura. Admirável “comércio” este de um Deus que se rebaixa para elevar a humanidade.
Mês do cumprimento dos sonhos: Em primeiro, do sonho de Deus, que se quer aproximar, rebaixar, quer montar a sua tenda no meio de nós, para habitar connosco. Sonho divino de um mundo novo, de paz e de prosperidade. Sonho de uma fraternidade estendida a todas as franjas da sociedade. Depois, mês do cumprimento dos nossos sonhos humanos que precisam que os recentremos em Deus. Fazer que os nossos sonhos estejam em sintonia com os sonhos de Deus. Como escreveu o padre Tolentino Mendonça: “Queres saber de que cor são os sonhos de Deus? / Volta a olhar o mundo pela primeira vez”.
O Advento é tempo de espera. As mulheres são mais conhecedoras – até fisicamente – do verbo esperar. Advento é hora de preparar a Páscoa. A marcha do tempo da liturgia orienta os nossos passos para Jerusalém, para o Gólgota da nossa salvação, para a gruta da ressurreição.
Preparando e celebrando o Natal de Jesus, é imperioso olhar já a noite da nossa salvação. Noite de Páscoa, de luz, de entrega, de abandono, de doação, de serviço. Claro que esta é precedida pela noite do nascimento, humilde e silencioso, alegre e feliz, tal como são as coisas de Deus.
A luz do presépio de Belém aponta a luz e o brilho do sepulcro vazio, da vitória da vida sobre a morte, pelo Vivente. A luz da Páscoa é, assim, acesa na noite de Natal!

texto publicado no Jornal Paroquial "Caminhando" (Dezembro) da Unidade Pastoral de Águeda

Valoriza os teus talentos! Não os enterres, nem congeles, não guardes só para ti!

O Evangelho está cheio de uma teologia simples, a teologia da semente, do fermento, de inícios que devem florescer. Cabe-nos a nós o ...