28 de setembro de 2010

Ideial de Deus: que não haja ricos e pobres!


 
Naquele tempo,
disse Jesus aos fariseus:
«Havia um homem rico,
que se vestia de púrpura e linho fino
e se banqueteava esplendidamente todos os dias.
Um pobre, chamado Lázaro,
jazia junto do seu portão, coberto de chagas.
Bem desejava saciar-se do que caía da mesa do rico,
mas até os cães vinham lamber-lhe as chagas...
(Lc 16,19-31)


Para Deus não pode haver um rico se ao seu lado houver um pobre. É inconcebível. Para Ele somos todos iguais. E para nós?



Deixemos que a Palavra (=Moisés e os Profetas) nos converta e nos faça olhar com compaixão e amor o pobre que jaz caído no portão da nossa casa, a fim de o tratarmos como ser igual a nós.

3 comentários:

  1. Este Evangelho foi de Domingo passado :)
    Deus não condena os ricos, por serem ricos!
    Condena-os por não partilharem com os mais necessitados...
    Não é isso, Pe.JAC?

    ResponderEliminar
  2. claro zita.

    mas a ideia do Evangelho é mais radical: estruturalmente não pode haver um rico enquanto houver um pobre.
    Nos planos de Deus não há lugar a essas divisões. Para Ele somos todos iguais...

    ResponderEliminar

Alma que espera...

A esperança é sempre uma boa aposta se for esperança em Deus. Ele é que é a fonte da esperança e Ele não desilude! Eu confio...