8 de janeiro de 2011

Conclusão da Caminhada de Advento/Natal 2010

Último dia
Domingo do Baptismo do Senhor


Deixa Deus falar:

Naquele tempo, Jesus chegou da Galileia e veio ter com João Baptista ao Jordão, para ser baptizado por ele. Mas João opunha-se, dizendo: «Eu é que preciso de ser baptizado por Ti e Tu vens ter comigo?». Jesus respondeu-lhe: «Deixa por agora; convém que assim cumpramos toda a justiça». João deixou então que Ele Se aproximasse. Logo que Jesus foi baptizado, saiu da água. Então, abriram-se os céus e Jesus viu o Espírito de Deus descer como uma pomba e pousar sobre Ele. E uma voz vinda do céu dizia: «Este é o meu Filho muito amado, no qual pus toda a minha complacência».
Mt 3, 13-17


Procura compreender o que Ele te diz:

Confundindo-se com os pecadores do Seu tempo, Jesus submete-se ao baptismo de penitência de João, num gesto de humildade, que enche de admiração o Precursor. O Pai, porém, glorifica o Seu Servo, proclamando que ele é o Seu Filho.
A Boa Notícia da salvação, começa pois, com este anúncio solene: Jesus Cristo, é, verdadeiramente, o Filho de Deus.
Ele desce para que nós subamos. O Jordão torna-nos filhos do Filho e irmãos em Jesus Irmão.
Hoje olhamosJesus vergado sobre a água do Jordão, a fim de nos dar o exemplo e para se mostrar integralmente solidário com a nossa humanidade.
É Deus Pai que nos apresente Jesus: Este é o meu Filho muito amado, no qual pus toda a minha complacência.
Notemos que Jesus não é somente servo mas também Filho. É como Filho e Servo que o vemos.
O Baptismo de Jesus revela a sua missão: agir pela força do Espírito Santo, pregando, anunciando, fazendo milagres, vivendo em total e amorosa obediência ao Pai que o levará a estender os braços e a doar-se no alto da Cruz.
Isto porque o Filho Amado é também o Servo do Senhor.
Contemplando o belo quadro do baptismo renovemos as nossas promessas e compromissos baptismais.

O que respondes a Deus que te fala?

Tu, Senhor,
Baixando ao Jordão
Fizestes-nos subir para o Pai.
Faz que a partir deste Natal
Sejamos, de facto, Filhos e Irmãos.

Rezemos a oração dos filhos e dos irmãos:
Pai Nosso…

Avaliação da Caminhada:

Objectivamente, termina hoje a nossa caminhada. Com a Festa do Baptismo do Senhor termina o tempo litúrgico do Natal. Amanhã é já Segunda-feira da I Semana do Tempo Comum.
Cabe-me uma palavra geral, conclusiva desta nossa caminhada.
No cômputo geral, pareceu-me bem. A participação foi comprometida por todos. E até aquele impasse vivido na semana antes do Natal permitiu que todos nos pudessemos comprometer mais no intuito colocado no início da nossa caminhada.
Gostava de realçar a elevação espiritual colocada nas participações. Efectivamente o Espírito de Deus sopra onde quer e como quer e, não duvido que soprou nos nossos corações e mentes, durantes estas dezenas de dias de Advento e Natal.

Com a nossa caminhada não beneficiamos apenas nós. A página do Facebook (palmas ao Fernando Cassola!) permitiu alargar os nossos horizontes a outros “amigos reais e virtuais”. Também eles, com certeza, tiveram possibilidade de ter um Advento e um Natal mais rico, mais santo.
Mas, a palavra de agradecimento é para todos e para cada um!

Continuo a crer que as novas tecnologias da informação e da comunicação são âmbito privilegiado para a Igreja. E o Papa tem alertado para isso… Da minha parte não esmoreço nem desanimo em afirmar a minha fé em Jesus neste que é um espaço virtual. Creio que todos estão comigo neste propósito!

Depois de afirmar isto, possivelmente poderá não cair bem o que digo agora a seguir: espero e quero que continuem a existir este tipo de caminhadas, particularmente nos tempos litúrgicos mais fortes. No entanto, comprometendo-me nessas mesmas caminhadas, não assumirei mais nenhuma vez o papel de moderador/coordenador (como lhe quiserem chamar). Não há outro motivo para esta decisão a não ser a minha extrema dificuldade de tempo. Nove paróquias e mais todos os trabalhos pastorais arciprestais e diocesanos que me pedem não me permitem a necessária disponibilidade para esse trabalho, deixai-me dizer, mais logístico e organizativo. Espero que outros possam assumir esse trabalho já na próxima Quaresma/Páscoa.

Resta uma palavra final, carregada de esperança e confiança.
A mão do Senhor sustém-nos.
É lá que estamos gravados e tatuados.
Não esqueçamos que Ele está connosco até ao fim dos tempos.
Oxalá, possamos nós estar com Ele até ao fim do nosso tempo.

Bem haja a todos.

Refulgir a Luz. [João Baptista]

João Batista é “a voz que clama no deserto, que “aplaina o caminho do Senhor”. Ele foi enviado por Deus como precursor e como “testemun...