8 de dezembro de 2011

Imaculada Conceição da Virgem Maria. A mais perfeita criatura humana!

Sois toda bela, Senhora Nossa.
Uma alma orientada
Desde sempre para o Senhor
Num impulso imenso de amor
Que brota do Amor.

Desde o primeiro instante da sua existência
Inteira e totalmente consagrada ao Senhor.
Desde o despertar da sua consciência
Não afrouxando ou fechando o impulso para Deus.

Impulso destinado a (re)erguer a humanidade caída,
Humanidade que representa plenamente,
E que, nela, estende ao Pai
Duas mãos que suplicam
para que caia o Orvalho
desça o Justo
para que venha a Paz
E apareça o Salvador!

Pureza virginal
Cândida inocência
Que, por todos, arrisca oferecer-se,
Sem limites, sem restrições
À santíssima vontade de Deus.

Lugar privilegiado
Trigo  imaculado sobre a eira
Donde vem para nós
A vida que sacia a nossa secura!

Pureza incomparável,
Diamante precioso,
Ornado do ouro mais fino
Habitado da luz mais pura
Que dá claridade
A tantos que jazem na escuridão.

Perfeita inocência
Que não é inconsistência infantil,
Que desfaz a sabedoria do mundo
E frustra a astúcia do Maligno
Que acredita, de corpo e alma,
Na Palavra recebida
E dela se faz escrava
Abrindo para nós
O paraíso selado,
Outrora, em Eva, fechado.

Candura generosa
Que diz, mesmo com medo, “Estou aqui!”
Um “Sim” perfeito e pleno
Perante o assombro dos Céus,
O amor definitivo entregue ao poder do Espírito
Para regenerar todos os humanos em Deus.

Glória da nossa terra,
Honra do nosso povo.
Jóia incomparável
Habitada pelo Espírito,
Por todas as chamas de amor.
Pentecostes em que participamos
Na coroa dos santos.

Mãe de uma geração imensa
Advogada dos pobres
Guia de todas as nossas misérias
Para a fonte caudalosa da Vida
Para o bendito fruto da Cruz
Que dá felicidade eterna e imortal
Aos filhos, para sempre, arrancados à morte.

Por Maria até Jesus!
A Ti clamamos hoje e sempre:
Ó Maria concebida sem pecado.
Rogai por nós que recorremos a Vós.
Amem!

Adaptado de Marcel Denis, usado nas homilias das Eucaristias que presido neste dia!
Pe. JAC

Valoriza os teus talentos! Não os enterres, nem congeles, não guardes só para ti!

O Evangelho está cheio de uma teologia simples, a teologia da semente, do fermento, de inícios que devem florescer. Cabe-nos a nós o ...