12 de julho de 2012

Embolismo. José Augusto Mourão




«Livra-nos, Senhor, da violência das palavras
Quando não vêem rostos
E semeiam lágrimas

Livra-nos da violência surda,
Do silêncio mútico, perverso,
Das tradições do corpo que inundou a erva

Livra-nos da violência das coisas
Que nos afogam, de excessivas

Livra-nos da violência harmoniosa,
DEUS que nos prometes a paz
E que esperamos na fronteira do fogo e da alegria»

Poema inédito
José Augusto Mourão, o.p.



Pe. JAC

Refulgir a Luz. [João Baptista]

João Batista é “a voz que clama no deserto, que “aplaina o caminho do Senhor”. Ele foi enviado por Deus como precursor e como “testemun...