1 de agosto de 2012

Das surpresas...




No segundo aniversário da celebração da Missa Nova...

Das surpresas...

Surge irrompendo a rotina
Acorda toda a lógica da calma
Inaugura um novo estado na alma
Que qualquer negrume logo de ilumina.

Atinge fortemente o coração
Que faz sentir para lá de qualquer dor
Assim grita triunfante o amor
Cantando a melodia da ilusão.

A surpresa bate sempre sem contar
E quando chega só que ser acolhida
Mesmo que quebre a barreira do sentido.

E traz o meigo desejo de amar
Na existência criada para ser vivida
Como jogo jogado, mas nunca perdido.

Foto na Capela Árvore da Vida, Seminário Conciliar de S. Pedro e S. Paulo, em Braga

Pe. JAC

1 comentário:

  1. É fantástico como consegue que lê-lo seja sempre uma surpresa tão boa!

    ResponderEliminar

Alma que espera...

A esperança é sempre uma boa aposta se for esperança em Deus. Ele é que é a fonte da esperança e Ele não desilude! Eu confio...