21 de setembro de 2012

Diário da Missão Jubilar. Ter consciência do passado para viver consciente o presente com esperança de futuro!


Diário da Missão Jubilar 1
Começo hoje no meu blogue um projeto ousado mas firme e decidido. Faço aqui uma espécie de compromisso pessoal. A Diocese de Aveiro vai iniciar daqui a um mês a Missão Jubilar dos 75 anos da sua Restauração. Procurarei dar eco, vez e voz, a este caminho jubilar, caminho de missão, com uma pequena publicação, em texto ou imagem, neste blogue, senão diária, pelo menos algumas semanais... Tarefa exigente e de alguma forma imprevisível, mas assumida conscientemente. A ver vamos com a ajuda de Deus.
 
A Diocese de Aveiro foi criada no século XVIII pelo papa Clemente XIV mediante o breve Militantis Ecclesiae gubernacula de 12 de abril de 1774, o qual foi executado em 24 de março de 1775. Em 30 de setembro de 1881, o papa Leão XIII extinguiu a Diocese através da bula Gravissimum Christi Ecclesiarum regendi et gubernandi munus, a qual foi executada em 04 de setembro de 1882.
Depois desta breve existência, a Diocese de Aveiro foi restaurada pelo papa Pio XI com a bula Omnium Ecclesiarum de 24 de agosto de 1938 e executada por D. João Evangelista de Lima Vidal a 11 de dezembro do mesmo ano. Completamos por isso, em 2013, os 75 anos de restauração da Diocese de Aveiro que importa celebrar, certos de que celebramos a nossa existência como Igreja de Cristo.
 
É esta celebração dos 75 anos da Restauração de Diocese de Aveiro motivo para a igreja diocesana viver a Missão Jubilar que começa precisamente daqui a um mês, numa ação designada "Génesis". Vive esta hora é lema que nos inclui, engloba e desafia a todos. Ouçamos as palavras do bispo da Diocese:
"Somos uma Diocese que se afirma na história viva da cidade e dos seus dez arciprestados. Trazemos connosco a memória agradecida da primeira Diocese de Aveiro, criada em 1774 e extinta em 1881. Guardamos na firmeza sólida da fé quanto de bem recebemos das Dioceses do Porto, de Coimbra e de Viseu, donde nascemos como Diocese.
Fizemos um longo caminho pastoral, percorrido por gerações de crentes, ao longo de setenta e cinco anos, criando na vida das pessoas e na estrutura da sociedade uma afirmação clara do valor da fé, uma identidade reconhecida como cristãos e uma unidade e comunhão enraizadas e fortalecidas na caridade.
Percorremos um caminho mais recente no horizonte do Jubileu, em quatro anos de programação pastoral marcados pela esperança cristã e num acrescido esforço mais próximo que a todos envolveu nesta caminhada para a Missão Jubilar." (D. António Francisco).

Descobrir o essencial!

Diante do Senhor que vem, reconhecemos que os nossos caminhos não são os seus (cf. Is 55, 9) e somos impelidos a converter-nos, a mud...