9 de setembro de 2012

Effathá (23. domingo comum)






Um surdo-mudo pagão,
Impuro de coração,
Que não ouve os sussurros dos céus
Não fala da vida e não ouve Deus.
Um surdo mudo resistente
Trouxeram, sem mais, a Jesus
Para que lhe desse, ali à frente
Cura e vida, liberdade e luz.
Mas é preciso ensiná-lo a ouvir,
É preciso dar-lhe o poder de falar...
Tocar o seu coração para o abrir
À grandeza e à beleza de amar.
É pedido ao surdo mudo
Que corresponda e colabore
Que de o passo para Jesus
Acto decisivo e fundamental:
É preciso abrir-se desde dentro
Para desbloquear os sentidos
Presos e impedidos
De reconhecer os outros.
É preciso que deixemos
Que Jesus toque nossos corações
Que cure a nossa surdez
E nos faça anunciadores...
Porque ninguém O pode seguir
Se não ouvir Dele falar.


Pe. JAC

2 comentários:

  1. Deixemos, pois, que Jesus nos abra os sentidos.

    ResponderEliminar
  2. Há palavras que têm o som dos sorrisos que se ouvem no coração. Obrigada... São assim as suas palavras.

    ResponderEliminar

Fidelidade (Great Is Thy Faithfulness)

A fidelidade do Senhor permanece para sempre!