1 de setembro de 2012

Pureza de coração. (dois poemas para o 22.º domingo do tempo comum)

 
Que pureza?
 
Que pureza é essa
Que faz lavar o exterior
E se esquece do interior?
 
Que pureza é essa
Que se ocupa da aparência
E se esquece da essência?
 
Que pureza pode vir da lei?
Se não vem do coração
Mais não é que tradição
Mais não é que legalismo.
 
Nada pode haver de fora
Que entrando, deite fora
A virtude da pureza…
 
Dá-nos, Senhor, olhos para ver
E para julgar com a razão:
O que é recto e justo fazer
Nasce sempre no coração.
 
 
 
Perfeito… de amor
 
As leis dos homens são vazias
Se não assentarem no amor...
São regras que limitam os dias
Cheios de tanto, vazios de amor.
 
O que torna um gesto perfeito
Não é a aparente limpeza,
É o sentir com que é feito,
É a verdadeira pureza.
 
É preciso agir com verdade,
Sinceridade e honestidade...
Ser rosto do nosso interior,
Um coração cheio de Amor.
 
Somos o nosso coração...
Perfeito se for de Deus.
 
 
Pe. JAC

6 comentários:

  1. A verdadeira pureza sente-se nas palavras que o seu coração escreve.
    Obrigada...

    ResponderEliminar
  2. "Ser rosto do nosso interior" Bonita frase...obrigado pela partilha de tamanha Beleza!

    ResponderEliminar
  3. Obrigada, sr Pe.JAC, por mais estes dois poemas que são au~tênticos meios de evangelização! peço-lhe um favor especial: não se esqueça de mim nas suas orações.
    Bem haja, Angelina Neves

    ResponderEliminar
  4. Partilhei no meu mural! Lindo demais! Bom domingo. Isabel Simões

    ResponderEliminar
  5. Adorei este blog , pode-me dar uma opinião sobre o meu ? agredecia imenso :)
    http://behappysimply.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. I am regular reader, how are you everybody? This post posted at this website is genuinely good.
    Here is my homepage :: comprar perfume

    ResponderEliminar

A Deus o que é de Deus!

De Deus é a terra é tudo o que ela contém, de Deus é o homem, aquele homem que é como um sopro que passa, mas que também é um pouco infe...