4 de maio de 2014

Calor da refeição. III domingo da Páscoa




No caminho se junta
Deus aos homens tristes
que, tristes, vão sem Deus.
Em cada esquina do caminho
se encontra a divindade
pronta a caminhar, qual peregrino,
revestida de humanidade.

A palavra ateia o fogo interior
e o gelo do caminho se desfaz.

Só o calor da mesa e da casa,
o pão partido e a vida dada,
a comunhão fraterna,
a refeição abençoada,
refaz o caminho triste
dos corações ateados
(em corrida jubilosa).

Para os corações em chamas de amor
já não há tristeza nem desalento
e a noite já não é escura
(nem tenebrosa),
já sopra a favor o vento
que faz respirar do Senhor.





Pe. JAC

Entrevista ao "De Colores"

Quando chega um qualquer dissabor fixo-me naquele primeiro amor que me fez firmar a vida toda em Cristo, transformando as dificuldades e...