2 de janeiro de 2016

Epifania




Deus, foste tu que nos puseste
nos caminhos do tempo
e disseste à nossa vida que a esperança se cumpre
atravessando a noite sem bagagens

como os Magos à procura do presépio,
assim caminhamos para ti;
que nos guie a estrela
para a prática das mãos, dos olhos e da esperança
e nos revele os perigos tortuosos;
que nos transporte a quadriga da justiça e da fortaleza
e que João Batista, estrela d’alva antes do dia que nasce,
nos indique o roteiro do teu Nome e do teu rosto

dá-nos também a companhia de Maria
que nos ajude a descortinar
as janelas do deserto e da alegria

santifica-nos, Deus, pelo fogo da tua consolação
e pelo fogo que acendeste entre todos nós aqui reunidos
na memória da tua Páscoa,
Deus do nosso berço e do nosso túmulo,
que vens no Pai, no Filho e no Espírito Santo

José Augusto Mourão, O Nome e a Forma, Lisboa 2009


Pe. JAC

Descobrir o essencial!

Diante do Senhor que vem, reconhecemos que os nossos caminhos não são os seus (cf. Is 55, 9) e somos impelidos a converter-nos, a mud...