11 de agosto de 2017

Conversão pastoral




Curiosamente (ou não), a "conversão pastoral" sugerida pelo Papa Francisco na Evangelii Gaudium surge nas palavras introdutórias das nomeações eclesiásticas assinadas pelo Arcebispo de Braga e nas nomeações 2017-2018 assinadas pelo Bispo de Aveiro, ambas para o próximo ano pastoral.  

Em todo o caso, parece-me que na necessária sequência operativa das palavras nem sempre seja esse o caminho seguido... Em ambos os casos.

Posto isto, ao acolher a nomeação de D. Jorge Ortiga para as paróquias de Fafe e Fornelos, no regresso à minha Arquidiocese de Braga, depois de quase oito anos a servir na Diocese de Aveiro (quase seis na Paróquia de Nossa Senhora da Glória-Sé, e quase dois nas nove paróquias da Unidade Pastoral de Águeda), enviado primeiro por D. António Francisco e depois por D. António Moiteiro, quero acolher também esse impulso de conversão, a fim de procurar ter sempre um coração ao jeito do Coração de Jesus, Bom Pastor, disponível e aberto a todos.

Que o Senhor me ajude!




Valoriza os teus talentos! Não os enterres, nem congeles, não guardes só para ti!

O Evangelho está cheio de uma teologia simples, a teologia da semente, do fermento, de inícios que devem florescer. Cabe-nos a nós o ...