8 de janeiro de 2009

Natal Ortodoxo

Distância da terra natal não impediu festa
Cristãos ortodoxos de Braga
celebraram Natal com fé e alegria

Texto: José António Carneiro

A Igreja Ortodoxa celebrou ontem a festa de Natal de Jesus e a comunidade religiosa que se reúne na igreja da Lapa, em Braga, não ficou alheia a esta celebração que, apesar da distância da terra natal e da saudade da família, foi vivida com fé e alegria. Várias cerimónias religiosas repletas de cânticos tradicionais, encontros e convívios familiares recheados de iguarias como trigo cozido e mel são alguns dos rituais obrigatórios para os ortodoxos nestes dias festivos.
A Natividade foi celebrada ontem pelos ortodoxos, 13 dias depois do dia 25 de Dezembro porque estes cristãos seguem o Calendário Juliano. Este calendário solar criado pelo imperador romano Júlio César tem um desfasamento de 13 dias em relação ao nosso Calendário Gregoriano.
Pelo facto de não ser feriado em Portugal e porque muitos patrões não dispensaram as pessoas dos seus trabalhos, a festa ortodoxa do Natal que se estende por três dias, em Braga, ficou reduzida a dois.
No dia de Natal propriamente dito [ontem] algumas dezenas cristãos ortodoxos participaram, na Lapa, numa Eucaristia festiva e solene, cheia de simbologia e repleta de cânticos. Os padres Dmytro Tkachuk e Vasyl Bundzyak, da Igreja Ortodoxa do Patriarcado de Kiev (Ucrânia) presidiram à celebração. Já ao final da tarde, realizou-se uma outra celebração sustentada principalmente em cânticos sobre o nascimento de Jesus Cristo. Não mais que uma dúzia de pessoas marcaram presença mas a celebração decorreu com uma seriedade e solenidade irrepreensíveis.


Informações precisas e completas aqui



© direitos Diário do Minho

1 comentário:

  1. Olá!
    Passei por cá!
    Gostei de estar aqui ...neste amor de Deus!!
    Tive curiosidade de ver quem era o seguidor novo do - Eu estou aki -

    Tudo de bom para tiiiiiii!!
    Muita força
    e muito amor de Deus e a Deus!!

    Bjtsss

    ResponderEliminar

Semear e despertar a esperança!

Depois de muitos dias a ver aquela senhora a fazer aquilo o homem ganhou coragem e perguntou:  -Bom dia! Porque é que todos os dias ...