5 de junho de 2009

Imitar Deus na atenção aos outros

D. António Couto pediu na “Católica” de Braga



D. António Couto pediu aos docentes, alunos e funcionários do Centro Regional de Braga, da Universidade Católica Portuguesa (UCP), que saibam imitar Deus na atenção aos outros. Na missa de encerramento de mais um ano académico, na capela da Universidade, foram lembradas ainda as pessoas ligadas à instituição que faleceram durante este ano, particularmente o padre António Ferreira Rodrigues.
O Bispo Auxiliar de Braga, apoiado na leitura (mal proclamada!) do livro de Tobias, falou da «bondade de Deus» uma vez que esse livro – que significa literalmente “Javé é bom” – contém «elementos essenciais e ordinários da existência humana» como «a compaixão e a misericórdia», «a doença», «as viagens e o acompanhamento dos viajantes», tendo como pano de fundo a figura atenta e bondosa de Deus.
Ressalvando a importância destes cenários bíblicos neste livro da Bíblia o prelado salientou que «Deus é companheiro de sempre» e que «a vida resume-se a amar Deus de todo o coração e a amar os irmãos da mesma maneira».
Nesta linha, o prelado pediu que todos saibam «fazer da vida atenção permanente aos irmãos», uma vez que «devemos fazer como Deus faz». E disse: «Não podemos perder de vista Deus que também não nos perde a nós da sua vista».

Padre António Rodrigues
foi recordado
Na presença de algumas dezenas de alunos, de professores e funcionários do Centro Regional, com a presença do Seminário Conciliar de S. Pedro e S. Paulo (equipa formadora e seminaristas), o prelado que também está ligado à UCP não se esqueceu de pedir e rezar pelos que faleceram durante este ano e que estão ligados à instituição de ensino superior. Aliás, no início da celebração, foram enumerados, por um aluno, os nomes das pessoas ou familiares falecidos que de alguma forma estão ligados à “Católica” de Braga. De destacar, o padre António Ferreira Rodrigues, que foi professor durante várias décadas na Faculdade de Teologia, e que faleceu recentemente. «Que o Senhor receba aqueles que deixaram o nosso convívio e já partiram e que o carinho, a ternura e a atenção de Deus sejam o seu conforto», rezou D. António Couto a terminar a pequena homilia.
Mas, porque se tratava da missa de encerramento de mais um ano académico, o prelado não esqueceu de pedir a bênção de Deus para os «trabalhos académicos deste ano feitos de amor e com amor».
Acompanhado ao órgão por João Duque, director adjunto da Faculdade de Teologia, o professor José Carlos Miranda e um grupo de seminaristas sustentou o canto da assembleia litúrgica que decorreu em ambiente de calma e serenidade.
No final foi servido um “verde de honra” nos corredores da Faculdade de Teologia.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Semear e despertar a esperança!

Depois de muitos dias a ver aquela senhora a fazer aquilo o homem ganhou coragem e perguntou:  -Bom dia! Porque é que todos os dias ...