3 de junho de 2009

Turismo religioso: 7 milhões de pessoas/ano


Santuários de Braga seguem atrás de Fátima no “ranking” dos mais visitados

O turismo religioso em Portugal envolve cerca de sete milhões de pessoas por ano e, embora não haja estatísticas oficiais, deve corresponder a cerca de 10 por cento do movimento turístico total, gerando receitas anuais de 700 milhões de euros. Atrás do Santuário de Fátima que lidera o “ranking” português dos locais mais visitados seguem quatro santuários localizados na Arquidiocese de Braga: Sameiro, Bom Jesus, São Bento da Porta Aberta e Penha.
A não existência de estatísticas oficiais, e de apenas estimativas da Secretaria de Estado do Turismo, explica-se pelo facto do turismo religioso ou turismo com destinos religiosos estar integrado naquilo que é chamado de “turismo cultural” (“touring cultural”). Esta opção gera críticas por parte de responsáveis do sector, críticas essas que estão de hoje até sábado, na agenda de trabalho do II Congresso Ibero-Americano de Destinos Religiosos, que se realiza em simultâneo com o V Congresso Internacional de Cidades-Santuário, em Fátima.
A inclusão do turismo religioso no designado turismo cultural é criticada por investigadores e operadores, que defendem a reformulação do Plano Estratégico de Turismo.
A falta de dados fidedignos sobre este sector de actividade turística é reconhecida tanto pelo Turismo de Portugal como pela Associação Mundial de Turismo Religioso (WRTA), cujo presidente, Kevin Wright, referiu que «não há dados específicos sobre Portugal, além dos que se referem ao Santuário de Fátima».
Kevin Wright mencionou à Lusa que o Santuário faz um «excelente trabalho» nessa área, embora se refiram apenas às peregrinações e número de peregrinos que se registam nos seus serviços.
A nível mundial, o turismo religioso movimenta entre 300 e 330 milhões de pessoas por ano, gerando receitas de 15 a 18 mil milhões de euros.
Portugal terá uma fatia de cerca de dois por cento desse tráfego turístico, disse Varico Pereira, da cooperativa Turel, indicando que o turismo religioso envolve cerca de sete milhões de pessoas/ano, dos quais cinco milhões têm Fátima como destino.
A nível mundial, Lourdes (França) é um dos principais destinos turísticos religiosos, com seis milhões de visitantes, mas a peregrinação a Kumbha Mela (Índia), que se realiza durante dois meses de 12 em 12 anos, reuniu, em 2001, 75 milhões de pessoas.
Santiago de Compostela (Espanha), um exemplo de gestão turística que vai ser apresentado neste congresso, recebe mais de quatro milhões de visitantes, enquanto a peregrinação anual a Meca atinge os 2,5 milhões de visitantes.
Em Portugal, Fátima é o principal destino, com cerca de cinco milhões de visitantes por ano, a larga distância dos restantes locais, quase todos situados no Norte.
Segundo Varico Pereira, responsável da Turel, os santuários do Bom Jesus e de Nossa Senhora do Sameiro, de São Bento da Porta Aberta, e também de Nossa Senhora da Penha, todos na Arquidiocese de Braga, surgem depois na lista dos locais religiosos mais visitados, com cerca de um milhão de turistas/ano.
Para este responsável, é preciso não esquecer que 75 por cento do património português é de origem religiosa, pelo que a grande maioria das visitas é feita a locais religiosos, «o que representa um grande potencial de desenvolvimento».

excerto Diário do Minho

Sem comentários:

Enviar um comentário

A Deus o que é de Deus!

De Deus é a terra é tudo o que ela contém, de Deus é o homem, aquele homem que é como um sopro que passa, mas que também é um pouco infe...