3 de julho de 2009

Festival de Gastronomia de Braga “dá” a provar sabores do Minho



Organização espera 30 a 40 mil visitantes durante os dez dias do certame


O 1.º Festival de Gastronomia de Braga “dá” a provar iguarias de todo o país, com especial destaque para os sabores típicos e tradicionais do Minho. O certame é inaugurado hoje, pelas 19h00, e prolonga-se até ao dia 12, com os organizadores a esperarem entre 30 a 40 mil visitantes, na Praça do Município.
Organizado pela Best Events, o festival gastronómico conta com o apoio da Câmara Municipal de Braga e não se resume às especialidades da cozinha minhota e portuguesa, incluindo a promoção e venda de produtos tradicionais, sem esquecer uma diversificada oferta de animação de rua.
Segundo Jorge Ferreira, da organização, o certame conta com a presença de cinco restaurantes da região de Braga. “Amigos da Canastra” (Póvoa de Varzim), “A Rival” (Amares), “Casa Gil” (Braga), “Adega Regional de Tenões” (Braga) e “Quinta do Esquilo” (Amares) são os cinco restaurantes que, na Praça do Município, vão apresentar 20 especialidades diferentes da gastronomia do Minho e Portugal.
Estes cinco estabelecimentos de restauração vão confeccionar, todos os dias, pratos económicos para o período de almoço, além de outras especialidades.
Não se focando apenas na gastronomia propriamente dita, o 1.º Festival de Braga dedica também uma zona para tasquinhas que farão a exposição, promoção e venda de variados produtos tradicionais de todo o país.
Do Minho ao Algarve, passando pelas Beiras e pelas Ilhas, o certame aposta em “Gijinha” (Óbidos), Pão-de-ló (Ovar), Doçaria Conventual e Amêndoa (Algarve), Fumeiro (Mirandela), Queijos e Enchidos (Serra da Estrela), Doces (Chaves), Pastéis (Tentúgal), Produtos Tradicionais (Madeira), Compotas Artesanais (Portalegre), Adega (Favaios e Guimarães), Vinhos e Queijos (Quinta da Aveleda), Doces Regionais (Santa Maria da Feira), Mel Gourmet, Caipirinha, Licores Regionais e Sangria.
Em paralelo com o festival gastronómico, os promotores prepararam um vasto programa de animação, com música, folclore, animação de rua, grupos de precursão, tunas académicas e dj’s.
Assim, hoje actuam “Sondart Grupo de Precursão”, Grupo Musical “Os Montes” e Estudantina de Braga. Amanhã, a animação fica a cargo de Ludgero Rosas, e no domingo, é a vez do Rancho Folclórico de S. Pedro de Lomar. De segunda, dia 6, a quinta-feira, dia 9, Sérgio Adrego assume a animação da praça, enquanto que, no dia 10, sobe a palco “The other side”. Para os dois últimos dias do certame, estão previstas actuações da Estudantina de Braga e de Tukanos – Música Tradicional, respectivamente.
O 1.º Festival de Gastronomia de Braga vai funcionar, na Praça do Município, durante dez dias, das 12h00 às 24h00, com entrada livre.
Diga-se, ainda, que a pensar nas famílias que têm crianças, a organização disponibiliza um espaço de diversão infantil – com insufláveis – direccionado para os mais novos.



Ana Paula Morais comentou apoio da Câmara
«Nem sempre o dinheiro é o mais importante»

Representando a autarquia bracarense na conferência de imprensa de apresentação do 1.º Festival de Gastronomia de Braga, que decorreu ontem, a vereadora dos pelouros das Actividades Económicas, Mercado Municipal, Cemitérios, Turismo, Recursos Humanos e Freguesias disse que o apoio da Câmara Municipal ao certame não passou pelo apoio económico, mas por uma colaboração ao nível da logística e infraestruturas. E atirou: «nestas coisas, nem sempre o dinheiro é o mais importante».
Para Ana Paula Morais o apoio dado pela autarquia está «dentro da normalidade» face à iniciativa privada. «O papel da autarquia é o de ser um elemento facilitador e dinamizador da iniciativa privada», sustentou a vereadora ao Diário do Minho. Além disso, do ponto de vista da política turística da cidade, «consideramos que esta é uma iniciativa importante para a dinamização turística e económica da cidade», afirmou a responsável pela área do turismo da Câmara Municipal de Braga.
Em concreto, a Câmara cedeu o espaço público localizado na Praça do Município, e criou as condições necessárias – ao nível da disponibilização e colocação de água, luz e som – para a realização do certame.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A Deus o que é de Deus!

De Deus é a terra é tudo o que ela contém, de Deus é o homem, aquele homem que é como um sopro que passa, mas que também é um pouco infe...