3 de agosto de 2009

Vila do Conde homenageou rendilheiras



Mais de 200 mil pessoas
já viram Feira do Artesanato


Mais de 200 mil pessoas já passaram em Vila do Conde para visitar a 32.ª Feira do Artesanato de Vila do Conde. O certame que arrancou no passado dia 25 de Julho termina no próximo domingo e, até ao momento, está a corresponder às expectativas da organização. Ontem o dia foi de festa para homenagear as mulheres vilacondenses, mestras na arte da renda de bilros.
Segundo Saraiva Dias, da organização da mostra, «a adesão das pessoas tem sido excelente, como em outros anos», colocando o êxito da feira «na raiz bem plantada, de todos os vilacondenses, em relação às tradições e ao artesanato».
Para este responsável, a feira de Vila do Conde traz todos os anos «aquilo que de melhor se faz em Portugal ao nível do artesanato». Neste sentido, «espelha a qualidade de tantas mãos de artesãos portugueses, de Norte a Sul, passando pelas regiões autónomas».
«Os artesãos portugueses fazem, a partir de materiais rudes, autênticas obras de arte», afirmou, salientando que, da parte da organização, existe o esforço de fazer representar nesta feira as várias regiões do país, mas também os diferentes tipos de artesanato.
Ontem, concretamente, o dia foi dedicado à renda de bilros e serviu para homenagear as mulheres vilacondenses que ainda se dedicam a este ofício. Para Saraiva Dias, trata-se de uma verdadeira arte que se vai desenvolvendo, ao longo dos séculos, com expressão em Portugal, apenas em Vila do Conde e Peniche. Aliás, os promotores convidaram, este ano, uma delegação de mulheres de Peniche, também elas exímias na arte da renda dos bilros para participar neste certame.
Em relação aos custos da organização, o responsável disse que não é uma iniciativa que sai cara, até porque há colaboração do município presidido por Mário Almeida. Ontem o presidente da autarquia quis também expressar a sua homenagem às mulheres rendilheiras tendo para isso participado num almoço, num dos restaurantes que está na feira. No final deste, as artesãs entoaram em uníssono e entusiasticamente, o hino das rendilheiras.
A 35.ª Feira do Artesanato de Vila do Conde continua até ao próximo dia 9, com mais de 11 mil metros quadrados de exposição e com a presença de mais de 200 artesãos, dos quais cerca de 100 trabalham ao vivo.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A Deus o que é de Deus!

De Deus é a terra é tudo o que ela contém, de Deus é o homem, aquele homem que é como um sopro que passa, mas que também é um pouco infe...