25 de maio de 2010

O Papa veio a Portugal. E agora?


É legítima esta pergunta, agora que o Papa foi para Roma, depois de ter estado em Portugal durante quatro dias. Houve muito interesse, muita cobertura mediática, centenas de milhares de pessoas o ouviram, os media seguiram a par e passo e até as altas figuras do Estado participaram nas celebrações. Houve festa e emoção!
Mas, como tinha de ser, o Papa foi embora. E agora? Deixou desafios à Igreja, à cultura, à política, à sociedade civil portuguesa. O que vai mudar daqui em diante?
Esperemos que a visita de Sua Santidade não tenha sido só “fachada”, não só dos que a viram e seguiram como uma visita normal de um Chefe de Estado, mas também dos cristãos. Para esses, esta visita tem de ficar gravada no coração para que a mensagem se faça vida. Assim o espero a começar por mim.
Desde já estou a ler, para meditar, todos as suas intervenções em território português. Ninguém ama o que não conhece.

Descobrir o essencial!

Diante do Senhor que vem, reconhecemos que os nossos caminhos não são os seus (cf. Is 55, 9) e somos impelidos a converter-nos, a mud...