16 de janeiro de 2013

O meu 32º. aniversário.



Ver passar a água de um rio sob uma ponte dá-me lições que não aprendi nem escola, nem no seminário, nem na faculdade...
A água segue o seu curso, movida de uma força imanente (presumo!) que a faz transpor barreiras ou barragens, diques e açudes... e a faz chegar à foz!
Mesmo que fique presa, durante algum tempo, correr livremente é condição própria de ser água.

Que tem isto a ver com fazer anos?

Assim me sinto e vejo ao longo de 32 passagens pelo meu aniversário.
Todas passagens diferentes, como tem que ser.
Se não são diferentes então hoje não completo mais um ano... Faria, quanto muito, 32 vezes o mesmo ano...
Mas tem sido diferente, ano após ano, em espiral crescente.

Não me preocupa se já corri muitos ou poucos, se foram rápidos ou nem tanto.
Preocupo-me e procuro cada dia correr até à foz.
Preocupo-me e procuro chegar à minha meta.
Essa tenho-a identificada: Jesus Cristo, meu Mestre e Senhor.

Se chegar a Ele em cada dia da minha vida, e hoje também,
então, hoje mesmo, posso morrer feliz.

Em dia de aniversário, aceito a "ordem" de Deus, no imperativo de S. Jerónimo: "Cala-te! Que o teu silêncio seja o Meu louvor".

E agradecido por tanto e a todos, então, calo-me... e ouço... e partilho um misto de emoções e sentimentos!
 

Descobrir o essencial!

Diante do Senhor que vem, reconhecemos que os nossos caminhos não são os seus (cf. Is 55, 9) e somos impelidos a converter-nos, a mud...