22 de janeiro de 2015

Conheço o frio da noite...


Conheço o frio da noite
De Janeiro.
Cortante e bravio,
Como caudal do rio
Depois a bátega do céu.

Conheço o frio da noite
De Janeiro,
E das noites frias do ano inteiro.
Não sei se o sinto primeiro 
depois o penso  
Mas sei que o sinto
Cruel e inteiro!

Conheço o frio da noite
À margem e ao centro 
Este frio intransigente da noite
Será só por fora ou por dentro?

Procurar: a condição crente!

A procura da vontade de Deus necessita de mediações humanas e, sobretudo, de mediadores humanos: de mestres , isto é, pessoas capaze...