3 de novembro de 2016

Deus na e da (im)perfeição!

A salvação consiste na possibilidade de amarmos e de nos amarmos até ao limite, em fazermos das nossas feridas e das dos outros ocasião de cuidado e de misericórdia. 
O nosso Deus manifesta-se em contextos naturalmente imperfeitos e, sobretudo, não intervém para resolver os problemas (...)

O Deus da revelação entra nas histórias feridas e fracassadas para levar por diante a "sua" história de salvação. (...)

O nosso Deus não deseja senão ter filhos diante de si, para poder manifestar o que é, quer dizer, Pai, amor, misericórdia. 



In Paolo Scquizzato, O elogio da imperfeição. O caminho da fragilidade. 


Descobrir o essencial!

Diante do Senhor que vem, reconhecemos que os nossos caminhos não são os seus (cf. Is 55, 9) e somos impelidos a converter-nos, a mud...