3 de fevereiro de 2009

Bispo levou Bíblia à prisão

Estabelecimento Prisional de Braga
D. Jorge Ortiga entregou
Novo Testamento aos reclusos

O Arcebispo Primaz deslocou-se ao Estabelecimento Prisional de Braga para presidir a uma Eucaristia e cumprir uma promessa que havia feito na altura da visita pastoral à comunidade paroquial de São Vicente: ir à cadeia para entregar aos reclusos a Bíblia. Ontem ao final da tarde, D. Jorge Ortiga cumpriu a promessa e deixou o Novo Testamento para todos os reclusos e para as suas famílias.
O Arcebispo de Braga disse a uma plateia composta por cerca de três dezenas de reclusos, alguns guardas prisionais e onde estava também o director, José Alves de Sousa, que a visita ao Estabelecimento Prisional é já uma iniciativa habitual e para continuar.
Sobre a Liturgia da Palavra, D. Jorge Ortiga salientou que Jesus trouxe, com autoridade, uma «doutrina nova» e que os católicos devem acreditar nessa doutrina e não noutras.
Uma vez mais, o prelado aproveitou a ocasião para relevar a Palavra de Deus – o lugar onde está contida a doutrina de Jesus – e desafiou os reclusos a pegar no Novo Testamento e a lê-lo. «Particularmente nos momentos mais difíceis e de solidão, tende coragem para pegar neste livro», afirmou.
Considerando que a leitura da Bíblia ajuda a combater a ignorância religiosa generalizada nos dias de hoje, D. Jorge Ortiga salientou, contudo, que a Palavra de Deus é mais para viver e pôr em prática do que para saber.
O Arcebispo disse aos reclusos que a «Bíblia é luz para os caminhos dos homens» e, por isso, pode e deve ser uma excelente leitura. «A Sagrada Escritura pode ser uma boa companhia nos momentos de solidão» afirmou, e «se lhe deres espaço poderá transformar a vossa vida».
No início da celebração eucarística, em nome de todos, um recluso deu as boas vindas a D. Jorge Ortiga. Depois da comunhão, um outro leu um poema onde se pedia «fome e sede da Palavra de Deus».
Na sequência desta leitura, o Arcebispo Primaz entregou em mão, a cada um dos reclusos presentes, uma tradução do Novo Testamento.
Interessante foi ver a pressa e a curiosidade dos reclusos em manusear o “presente” recebido. Ainda o presidente da celebração, concedia a bênção de Deus e já alguns estavam “de olhos espetados” no Novo Testamento.
D. Jorge Ortiga não se despediu sem dizer que está na disposição de ir ao Estabelecimento Prisional para participar num debate/conversa sobre a leitura do Novo Testamento, para a qual desafiou cada um dos presentes.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A Deus o que é de Deus!

De Deus é a terra é tudo o que ela contém, de Deus é o homem, aquele homem que é como um sopro que passa, mas que também é um pouco infe...