26 de maio de 2009

Cristãos devem limpar sinais de corrupção do mundo




Vigário geral na peregrinação à Senhora do Pilar

O cónego José Paulo Abreu desafiou os cristãos do arciprestado da Póvoa de Lanhoso a trabalhar na transformação do mundo actual, concretamente limpando dele todos os «sinais de corrupção, falta de verdade e de egoísmo». Na homilia da peregrinação arciprestal ao santuário de Nossa Senhora do Pilar, o vigário geral da Arquidiocese desafiou ainda os milhares de pessoas presentes a não esquecerem a oração do rosário que é a devoção do amor a Nossa Senhora.
Na Eucaristia, concelebrada por uma dezena de párocos, no anfiteatro natural situado junto ao templo mariano, o capitular que presidiu à celebração começou por dar conta da festa litúrgica da Ascensão que «convida a olhar para o Céu, onde está o Filho, juntamente com Deus Pai e com Nossa Senhora». «Ela, no céu, é medianeira de todas as graças e intercessora», afirmou, exortando a que todos os cristãos «coloquem junto de Deus as suas intenções, por meio das mãos de Nossa Senhora».
A festa da Ascensão representa a «entronização de Jesus», fazendo-o «Senhor de tudo, à direita do Pai» mas, permite igualmente contemplar a figura de Nossa Senhora que também teve a honra de ser elevada ao Céu, como recompensa da sua vida cheia de graça e cheia de Deus. Na sua vida terrena, Maria foi «perfeita no amor».
Com veemência, o cónego José Paulo Abreu distinguiu duas formas de as pessoas se situarem perante a vida. Por um lado, «podemos escolher viver nas trevas, com atitudes de ódio, inveja e egoísmo, e estamos, assim, a preparar o inferno». Todavia, «temos também a possibilidade de vivermos na luz, com atitudes de amor, de serviço, de solidariedade e de respeito», afirmou o presidente da celebração, ressalvando que «assim se prepara o Céu».
Mediante a liturgia da Palavra, o vigário geral ainda ressalvou o desafio constantemente colocado aos cristãos e que tem a ver com a construção do Reino de Deus no mundo. «É preciso lutar contra os demónios e expulsar as serpentes ou seja, é urgente combater o mal do mundo e lutar contra as tentações». O capitular elencou de seguida que «o combate ao mal faz-se lutando contra toda a corrupção, o egoísmo e a falta de verdade».
A terminar a reflexão, o sacerdote pediu que os cristãos não esqueçam a devoção do rosário ou do terço. «Como em momentos vários da vida usamos flores para significar a nossa estima e o nosso amor a alguém – elencou o nascimento, as diversas festas, o casamento e até a morte – não podemos esquecer de dar rosas a Nossa Senhora», disse. «Cada ‘Ave Maria’ que rezamos é uma rosa que depomos junto de Nossa Senhora», finalizou.
A peregrinação arciprestal à Senhora do Pilar, apesar de alguma chuva que foi caindo, juntou milhares de pessoas. As paróquias povoenses aderiram ao apelo lançado pelos párocos e fizeram-se representar com estandartes, bandeiras e cruzes paroquias. De realçar a presença de muitos movimentos de apostolado mas, também, de muitas associações e instituições civis, desde logo a Câmara Municipal, com Manuel Baptista a incorporar a peregrinação até ao alto do monte.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fidelidade (Great Is Thy Faithfulness)

A fidelidade do Senhor permanece para sempre!