15 de maio de 2009

Prisão de Braga acorda novos projectos de voluntariado


Seminário Conciliar, Convento de Montariol e CAB são parceiros

O Estabelecimento Prisional de Braga assinou ontem alguns acordos de cooperação com entidades da cidade para a criação de novos projectos de voluntariado a desenvolver dentro dos muros da cadeia e em benefício dos reclusos. O Centro Académico de Braga surge como o mais recente parceiro e vai proporcionar sessões de yoga e um gabinete de encaminhamento jurídico de apoio à população prisional.
A juntar a estes novos projectos, também o Seminário Conciliar de S. Pedro e S. Paulo e o Convento de Montariol assinaram com a direcção da cadeia de Braga acordos que permitem continuar a assegurar a organização da Semana de Cultura e ainda fazer ressurgir antigos projectos como “Correio da Esperança” e “Rasgar horizontes”.
A cerimónia contou com a presença do director do Estabelecimento Prisional de Braga, José Alves de Sousa, da equipa de técnicos de tratamento penitenciário e da chefia da guarda prisional, bem como dos responsáveis das respectivas entidades que acordaram projectos com a cadeia. O Convento de Montariol esteve representado por Frei José Pinto, o Seminário Conciliar de S. Pedro e S. Paulo, pelo padre João Torres e o Centro Académico de Braga pelo padre Luís Ferreira do Amaral.
Dos projectos acordados ontem, o do yoga e do encaminhamento jurídico da responsabilidade do CAB são os que mais novidade trazem, uma vez que os restantes projectos, de uma forma ou de outra, já se realizaram ou ainda realizam naquele estabelecimento.
O encaminhamento jurídico vai ser executado, mediante uma visita semanal à prisão, por advogados estagiários e por uma advogada. O objectivo é desenvolver a consciência cívica da população prisional e esclarecer acerca dos direitos e dos meios de defesa que têm ao dispor.
O acordo prevê que estes advogados tenham uma acção delimitada, atendendo aos princípios deontológicos da profissão e sem nunca ultrapassar competências, concretamente em relação aos advogados oficiosos.
Para evitar qualquer ilegalidade, a Ordem dos Advogados (AO) foi consultada sobre este grupo de voluntariado assim como o pelouro das Prisões do Conselho Geral da AO que, de resto, salientou que o Estabelecimento Prisional de Coimbra tem a funcionar uma actividade do mesmo género.
O CAB vai ainda desenvolver, por intermédio de Ana Oliveira e Cláudia Horta, duas vezes por semana e abertas a todos os reclusos, sessões de yoga e relaxamento. Este projecto tem uma duração de três meses, e cada sessão terá no máximo 12 reclusos.

Seminaristas do 5.º ano
compõem grupo
O grupo do Seminário Conciliar de Braga é constituído pelo moderador de Pastoral do 5.º ano, padre João Torres, que no passado foi coordenador da Pastoral Prisional de Braga. Com o sacerdote, neste grupo de voluntariado estão os seminaristas Jorge Barbosa, Pedro Marques e José Miguel Cardoso e ainda o diácono Manuel Baptista.
Segundo o padre João Torres, este grupo surge da necessidade de retomar o grupo de voluntariado – que, há alguns anos, chegou a ser o maior do país – na prisão de Braga.
Sobre os projectos com directa responsabilidade deste grupo disse que “Rasgar horizontes” tem por missão a realização de sessões de cinema em que a selecção dos filmes tem como pressuposto criar um ambiente de reflexão em torno de cada um dos filmes visionados, promovendo o debate, a troca de ideias e impressões.
Já o “Correio da Esperança” pretende que os reclusos mantenham contacto com alguém do mundo exterior ao Estabelecimento Prisional. Todas as cartas são dirigidas para uma morada comum e posteriormente distribuídas a um voluntário que se disponibilizará para manter contacto com um recluso.

Frei Pinto continua capelão
O Convento de Montariol, particularmente o Frei José Pinto, que é o capelão do estabelecimento prisional, continua como responsável pelo acompanhamento religioso dos reclusos. Este acompanhamento faz-se com apoio espiritual, com celebrações eucarísticas, com celebrações marianas (terço), e com visitas pontuais quer do Arcebispo de Braga quer de grupos de jovens católicos.

Descobrir o essencial!

Diante do Senhor que vem, reconhecemos que os nossos caminhos não são os seus (cf. Is 55, 9) e somos impelidos a converter-nos, a mud...