7 de junho de 2009

Portugueses desafiados a financiar projectos missionários


Fundação Evangelização e Culturas lança campanha

Mesmo em tempo de crise económica, os portugueses são desafiados a financiar alguns projectos missionários desenvolvidos pela Fundação Evangelização e Culturas (FEC) que acaba de lançar uma campanha nacional com o objectivo de angariar financiamentos para a implementação de dez projectos de cooperação a desenvolver em Angola, Moçambique, Timor-Leste e também em Portugal. Esta campanha realizada no âmbito da Plataforma de Voluntariado Missionário designa-se “Agir para desenvolver – Projectos de Esperança”.
Segundo um comunicado de imprensa da FEC os dez projectos, executados por dez organizações, pretendem ser «um contributo no combate à pobreza, através da actuação em diferentes áreas, como Educação, Economia Sustentável, Apoio Social, Animação Juvenil e Saúde».
Os projectos pretendem responder a necessidades específicas diagnosticadas pelos voluntários e missionários que diariamente estão com as populações e às quais a FEC quer responder.
Os portugueses são assim desafiados a contribuir e a financiar estes projectos que constituem uma resposta concreta aos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio. Para contribuir e apoiar estas iniciativas os interessados podem enviar os donativos via CTT ou via internet. Mais infirmações dos projectos podem ser encontradas em www.agirparadesenvolver.org.

Projectos respondem
a necessidades
São dez projectos que se dividem entre Angola, Moçambique, Timor-Leste e Também Portugal.
“Juntos na hi funda” é um projecto da responsabilidade das Irmãs Concepcionistas ao Serviço dos Pobres que pretende promover o desenvolvimento educativo e formativo das crianças e jovens da vila de Manjacaze (Moçambique). A requalificação, apetrechamento e dinamização da biblioteca local custa mais de 17 mil euros.
A paróquia de Nossa Senhora do Rosário, em Famões, (Angola) está com o projecto “Um Futuro para Nambuangongo”, com o objectivo de diminuir o abandono escolar e aumentar o grau de escolaridade das mulheres da aldeia. A reabilitação de um internato, a aquisição de mobiliário básico e reabilitação da casa da missão para apoio comunitário vai custar mais de 43 mil euros.
“Caminhos e Sorrisos” está a cargo do grupo “Diálogo”, dos Missionários do Verbo Divino, e pretende construir uma comunidade viva, autónoma e integrada na comunidade de Terraços da Ponte (Sacavém). Este projecto orçado em sete mil euros vai fazer a requalificação do espaço de culto, a organização da Festa da Família e a dinamização de colóquios.
“Ensino para Todos” quer aumentar a frequência escolar no Bairro Vunguine, em Boane (Moçambique) em 50 por cento. Com um orçamento de 43 mil euros, a Congregação dos Sagrados Corações vai construir e apetrechar três salas de aula, de forma a permitir às 500 crianças do bairro o acesso ao ensino básico.
Em Timor-Leste, a Juventude Hospitaleira quer combater a pobreza através do fomento de actividades económicas. “Padaria Comunitária” é o projecto destinado à comunidade de Laclubar que custa três mil euros e passa pela reconstrução do edifício da padaria e pela formação de responsáveis pela mesma, nomeadamente na área de gestão, segurança e higiene alimentar.
A Associação de Leigos Voluntários Dehonianos tem o projecto “Ensinar para Aprender em Luau” com a finalidade promover o desenvolvimento educativo em Moxico (Angola). Para a criação, informatização e apetrechamento da biblioteca central que dá apoio às 30 escolas locais e para o apetrechamento de 30 escolas com kit's didácticos são precisos mais de 31 mil euros.
“A Caminho do Futuro” vai criar uma sala de informática no Centro Social Flori, no Bairro das Mahotas, em Maputo (Moçambique). Este projecto custa mais de oito mil euros e está com as Irmãs Missionárias Dominicanas.
“Promoção pela Educação” é outros dos projectos que pretende promover o desenvolvimento integral de meninas do Centro de Acolhimento da zona de Humpata (Angola). A finalização da construção e apetrechamento deste centro com a dinamização de aulas de apoio e recuperação escolar e ainda animação de actividades lúdicas é um projecto da associação Sol Sem Fronteiras que está orçado em 50 mil euros.
“Partilhar é Amar”, da Associação Mãos Unidas Pe. Damião, quer promover o apoio social a crianças órfãs, mães solteiras, idosos e portadores de SIDA em Moçambique. Campanhas de sensibilização, realização de actividades para a promoção da mulher, de encontros mensais com as mães e de visitas domiciliárias custam, ao todo, mais de 35 mil euros.
“Grão a Grão” vai contribuir para a melhoria alimentar e aumento da qualidade de vida da comunidade do Gungo (Angola). São precisos mais de 11 mil euros para o Grupo Missionário Ondjoyetu fazer a implementação de um posto de moagem no centro da localidade e para a formação e iniciação de processos de produção de farinha.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A Deus o que é de Deus!

De Deus é a terra é tudo o que ela contém, de Deus é o homem, aquele homem que é como um sopro que passa, mas que também é um pouco infe...