15 de junho de 2009

Relíquias da Santa Margarida Alacoque em Braga



Arcebispo denuncia sociedade
com «défice de coração»


O Arcebispo de Braga denunciou ontem à tarde que a sociedade actual vive um «défice de coração» que não lhe permite olhar para os outros numa atitude de serviço e dedicação. No Mosteiro da Visitação de Santa Maria, em Braga, D. Jorge Ortiga presidiu a uma Eucaristia finda a qual as relíquias de Santa Margarida Maria Alacoque seguiram para o mosteiro visitandino de Vila das Aves sem antes passarem por Balasar.
Na capela do mosteiro cheia de fiéis, o prelado alertou para a necessidade da «formação do coração». Apoiado no pensamento de Bento XVI, em “Deus é Amor”, D. Jorge Ortiga pediu o empenho dos cristãos, em particular, na dedicação e na atenção aos outros, à imagem do coração trespassado de Cristo, que se entregou por todos.
Denunciando a ausência de corações como o do Bom Pastor, ou do Bom Samaritano ou do pai da parábola do Filho Pródigo, o Arcebispo frisou que a atenção ao próximo se deve manifestar «nas pequenas coisas do dia-a-dia» e não tanto quando acontece qualquer problema ou calamidade. «É preciso solidariedade nas pequenas coisas», disse, sustentando que ao mundo actual «falta humanismo».
Como desafio à Igreja arquidiocesana, o prelado exortou a que os cristãos saibam viver o amor não tanto como mandamento imposto mas como consequência espontânea da fé cristã.
«A nossa Arquidiocese pode cair no perigo de ser demasiadamente ritualista e devocional entrando num estado de insensibilidade perante os problemas da sociedade», afirmou. Nesta linha, pediu que a passagem das relíquias de Santa Margarida Maria – «a quem Cristo revelou as maravilhas do seu coração cheio de amor» - seja uma oportunidade para os cristãos aumentarem a sua sensibilidade às interpelações do amor.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Fidelidade (Great Is Thy Faithfulness)

A fidelidade do Senhor permanece para sempre!