12 de agosto de 2009

Santuário de Fátima é palco para encontro dos migrantes


Cova da Iria recebe estes dias milhares de pessoas


O Santuário de Fátima é, por estes dias, palco de encontro para centenas de milhares de migrantes. A 37.ª Semana Nacional das Migrações, uma iniciativa da Comissão Episcopal da Mobilidade Humana e da Obra Católica Portuguesa de Migrações (OCPM), conta, hoje e a manhã, com a Peregrinação do Migrante e do Refugiado que é presidida pelo Bispo Auxiliar de Porto Alegre (Brasil), D. Alessandro Ruffinoni.
«Vamos dar uma atenção especial à comunidade brasileira radicada no país», disse Frei Francisco Sales, director da OCPM, acrescentando, contudo, que «os emigrantes portugueses não vão ser esquecidos porque é nesta altura que vêm a Portugal».
Francisco Sales afirmou que vão igualmente ser recordados «os emigrantes que morrem nas estradas de regresso a Portugal, particularmente em França», classificando esta situação como um drama.
«Pretende-se que seja um espaço de encontro dos migrantes com a sua fé, com Deus e com os outros e uma reflexão sobre a realidade migratória do tempo actual», adiantou o responsável.
Já o Bispo que no Brasil é responsável pela Pastoral para os Brasileiros no Exterior, vai defender que «o migrante não pode ser visto como problema nem pela Igreja nem pelo Estado».
«Os migrantes são muitas vezes ocasião de comunhão, diálogo integração», defende D. Alessandro Ruffinoni, sublinhando que eles precisam de acolhimento e trabalho, mas também transportam «riqueza de fé, de cultura e tradições» que valorizam «os povos que os acolhem».
A Peregrinação do Migrante e do Refugiado começa hoje às 18h30, na Capelinha das Aparições, com a habitual saudação aos fiéis, seguindo-se, três horas depois, a recitação do terço, a procissão de velas e a celebração da Eucaristia, presidida pelo presidente da Comissão Episcopal da Mobilidade Humana e Bispo de Beja, D. António Vitalino Dantas.
Depois de uma noite de vigília, as cerimónias são retomadas amanhã de manhã, com a recitação do terço às 09h00, na Capelinha das Aparições.
Uma hora mais tarde começa a principal celebração eucarística da peregrinação internacional, presidida por Alessandro Ruffinoni, com a oferta do trigo – uma tradição que se repete desde 1940 em todos os dias 13 de Agosto – e a bênção dos doentes.

Segurança reforçada
Um dispositivo de 200 militares da GNR vão estar em Fátima a partir de hoje até sábado para garantir a segurança dos peregrinos e para orientar o trânsito que se prevê intenso por estes dias.
Aos automobilistas que se dirijam ao maior templo mariano do país, o tenente-coronel Nuno Paulino aconselha a terem cuidado na estrada e a estarem atentos à informação que a GNR vier a disponibilizar e que pode incluir, eventualmente, percursos alternativos para chegar a Fátima.
Quanto ao dispositivo de socorro, o comandante distrital de operações, Joaquim Chambel, revelou que este vai passar pelo reforço de meios humanos e materiais dos Bombeiros Voluntários de Fátima até ao fim-de-semana.
Está igualmente assegurado o reforço de escuteiros e dos elementos dos Servitas de Nossa Senhora de Fátima, que colaboram no serviço de saúde do santuário.
Segundo o vereador com o pelouro da Protecção Civil da Câmara Municipal de Ourém, João Moura, na corporação de Fátima vão estar 70 bombeiros, apoiados por dez ambulâncias, 15 carros de fogo e duas motorizadas eléctricas.
«São duas motos, silenciosas, disponibilizadas por uma empresa de Leiria, a estrear nesta peregrinação, com dois socorristas que vão estar nas imediações do santuário», adiantou João Moura, realçando a sua importância para uma primeira abordagem aos peregrinos em caso de doença, «quando se espera que o calor vá continuar».



Instaladas unidades de informação
Santuário sem alarmismos
quanto à Gripe A

Entretanto, três unidades móveis de informação e reencaminhamento de pessoas suspeitas de estarem infectadas com gripe A (H1N1) vão ser instaladas sábado em Fátima. Fonte da delegação de saúde de Ourém, explicou que os espaços, onde vão estar enfermeiros, pretendem «divulgar informação sobre a gripe A», mas também «reencaminhar alguma situação suspeita».
Os hospitais para onde serão reencaminhados os doentes que apresentem sintomas da doença serão o Curry Cabral (para adultos) e o Dona Estefânia (crianças), em Lisboa.
A decisão de instalar os equipamentos no feriado de 15 de Agosto deve-se à possibilidade de este vir a ser o dia de maior afluxo de peregrinos a Fátima esta semana, eventualmente mais do que a Peregrinação do Migrante e do Refugiado, que decorre hoje e amanhã.
Ana Dinis realçou a importância de uma «atitude cívica» em matéria de Gripe A. «Se alguém adoecer deve ficar em casa e contactar a Linha Saúde 24», avisa, sublinhando que este é o «serviço mais organizado e mais seguro para todas as pessoas».
Por outro lado, a médica apela para que haja a preocupação de adoptar comportamentos correctos, como lavar as mãos ou manter a distância social.
Acrescentando que «os aglomerados de pessoas ao ar livre correm menos riscos do que os que estejam fechados», a responsável desaconselha aos peregrinos o uso de máscaras.
«As máscaras é para quem está doente ou tem de tratar dos doentes», salientou, sublinhando que a iniciativa de colocar as unidades móveis de divulgação não significa que haja a necessidade de entrar em pânico. «Estamos tranquilos», frisou.
O vereador da Câmara Municipal de Ourém com o pelouro da Protecção Civil adiantou que as unidades móveis vão ficar instaladas nos parques 1 e 10 do Santuário e em Aljustrel. «Não é uma situação de alarme. Estamos com os meios adequados para a situação actual», assegura.

Descobrir o essencial!

Diante do Senhor que vem, reconhecemos que os nossos caminhos não são os seus (cf. Is 55, 9) e somos impelidos a converter-nos, a mud...