9 de agosto de 2010

O caricato das situações: Missa Nova em Águeda


Há coisas que nos ficam na memória pelo que significam para nós, mas também pelo caricato que as rodeia.
Não é que este fim-de-semana fui até às terras de Águeda para celebrar Eucaristias e, para além de ser as primeiras naquelas terras, ainda tiveram esse tal caricato a rodea-las?!
No sábado, fui presidir à Missa à capela da Giesteira (na paróquia de Águeda) e não levei óstias para consagrar? Claro que eu pensei que havia lá, mas afinal não havia. Pedi a uma pessoa para ir a casa buscar pão (trigo) e consagrei-o na Eucaristia. 
Claro que pedi desculpa às pessoas e logo disse que era a mesma coisa, era o mesmo Cristo que se entregava em alimento para nós. E assim foi.
Além disso, troquei a folha dos avisos - levei os de outra paróquia - e também não os pude fazer...

Mas são estas coisas que ficam, que nos ficam.
O caricato da situação anexado ao facto de ser a primeira missa nas paróquias onde vou trabalhar por mais um ano permite que nunca mais esqueça esta Eucaristia.

São as "histórias do arco da velha".

Mas foi bom e correu bem.

Já no domingo, depois de celebrar Eucaristia na capela de A-dos-Ferreiros, com a Festa de Nossa Senhora das Neves e de Santo António, presidi, na matriz de Águeda. Lá me firezam algumas "surpresas". Até tive de tocar piano durante a missa. Foi bom e correu bem.

Continuamos unidos, neste caminho ao encontro do Pai, que só nos quer para nos amar.

Fotos de António Gomes
Texto de Helena Nogueira

Entrevista ao "De Colores"

Quando chega um qualquer dissabor fixo-me naquele primeiro amor que me fez firmar a vida toda em Cristo, transformando as dificuldades e...