1 de junho de 2011

"Esmiuçando" a Mensagem do Papa para a JMJ 2011

“Enraizados e edificados em Cristo... firmes na fé.” (cf. Cl 2, 7)

Este texto foi lido durante a iniciativa Go(o)d Night-Peregrinação Nocturna do Jovens do Arciprestado de Águeda. O intuito foi dar a conhecer a Mensagem do Papa para a JMJ 2011, de forma sentida e profunda, seguindo os seis pontos da Mensagem com recurso a alguns sinais e símbolos. Partilho com todos:




Nada teremos para dizer aos jovens de hoje se não estivermos dispostos e empenhados em caminhar com eles e não só fisicamente!

1. Busca uma vida maior

Muitos escritores, poetas e pensadores caracterizam a vida humana como uma longa viagem, com diversas passagens e diversos passos, ou como uma grande corrida, uma espécie de maratona.
Nós sabemos que a fé não é um anexo da vida. Aliás, é parte integrante da existência humana.
Todos sentimos que a vida humana é uma busca incessante, é um tender para o Infinito, é um procurar razões de viver, de ser, de esperar, de confiar e de amar.
O Papa Bento XVI afirma, na mensagem que escreveu para a Jornada Mundial da Juventude deste ano que “o ser humano está criado para aquilo que é grande, para o infinito.”
E depois concretiza que “a juventude é a idade na qual se busca uma vida maior”.
Tu, jovem que hoje peregrinas, buscas o quê? Ou quem?
Usando conhecidas palavras de Santo Agostinho que caracterizam uma espécie de insaciedade, como que uma busca da superação do desejo, o Papa reescreve: “O nosso coração está inquieto enquanto não repousar em Ti.”
Aos jovens, Bento XVI lembra: “Vós sois o futuro da sociedade e da Igreja!” Sim, os jovens são futuro e são esperança.
E depois indica que é missão dos adultos olhar e cuidar as novas gerações: “Vós jovens tendes direito de receber (…) pontos firmes para fazer as vossas opções e construir a vossa vida, do mesmo modo como uma jovem planta precisa de um sólido apoio para que as raízes cresçam, para (…) depois dar fruto.”

2. Enraizados em Cristo somos capazes
Nascemos radicados numa cultura, num tempo, num país, numa família.
De todos rebecebemos educação. De alguns recebemos também educação religiosa.
Não podemos conceber a vida sem a devida ligação à origem, à proveniência, à família.
Na mensagem para a JMJ 2011, o Papa pergunta aos jovens: “Quais são as tuas raízes?” para logo depois explicitar que “enraizar (…) significa ter confiança em Deus.”
Pela fé manifestamos essa confiança, sabendo de antemão que “a fé cristã é relação pessoal com Jesus Cristo, em que Cristo nos revela a nossa identidade e, com amizade, a vida cresce e realiza-se em plenitude.”
Nós somos um sonho de Deus, somos queridos por Deus. Como diz o Papa: “o Senhor quer-me, por isso me dará também a força.”
A construção de uma vida com sentido, enraizada e fidelizada em Deus passa pela escuta e pela prática da Palavra de Deus. Escreve Bento XVI: “amigos, construí vossa casa sobre a rocha. Tentai acolher a cada dia a Palavra de Cristo. Escutai-O como verdadeiro Amigo. Com Ele ao vosso lado, sereis capazes.”
E ainda: “Somente a Palavra de Deus nos mostra o caminho autêntico, somente a fé que nos foi transmitida é a luz que ilumina o caminho.”
Tu, jovem que hoje peregrinas, onde tens as tuas raízes? A Palavra de Deus é luz para Ti?

3. Na cruz estamos firmes
Jesus Cristo é o Messias, isto é o Enviado, com a missão de restabelecer a comunhão dos seres humanos com Deus, libertando-os do pecado e mostrando o rosto e o coração amoroso de Deus Pai.
A missão de Cristo passa pela cruz, mas não termina lá.
Bento XVI di-lo na mensagem para a JMJ: “Jesus Cristo entregou-se na Cruz para nos oferecer o Seu amor. Deste modo, fomos libertados.”
Aquela morte na cruz, que foi e é vista por muitos como escândalo, derrota, silenciamento fez-se vitória, vida, fraternidade, liberdade e salvação.
De facto, “a cruz é a expressão máxima do amor de Cristo”, tal como aponta o Papa.
Na cruz, e na consequente ressurreição – sim, porque Deus cumpre sempre a Sua Palavra e a Sua Promessa – está a nossa vida e a nossa salvação. Defende o Papa: “Sem Cristo, morto e ressuscitado, não há salvação.”
Na cruz estamos firmes, seguros e salvos!

4. Jesus está sempre contigo – Acredita!
A vida de Jesus foi um contínuo dar. Deu vida, saúde, alegria, paz, pão, alimento, felicidade… E tudo o que deu não foi suficiente. Ele teve de dar-se a Si mesmo. E deu-se por inteiro.
Não te esqueças, amigo jovem, que nesta noite peregrinas, que para seres grande tens sempre que ser inteiro.
Ainda Jesus é dom. É dado por Deus. Dá-se em particular no sacramento augusto e maior da Eucaristia, na qual Ele mesmo quis ficar, fazendo memória d’Ele.
Por isso, o Papa desafia os jovens: “aprendei a “ver”, a “encontrar” a Jesus na Eucaristia (…) como alimento para nosso caminho; no Sacramento da Penitência, onde o Senhor manifesta Sua misericórdia oferecendo-nos sempre o Seu perdão.”
Aqui encontramos sempre o Senhor Jesus.
Mas podemos ainda encontrá-lo pela oração e pela Escritura. E aí soa de novo, o apelo de Bento XVI: “Iniciai e cultivai um diálogo pessoal com Jesus Cristo, na fé. Conhecei-O mediante a leitura dos Evangelhos e do catecismo da Igreja católica; falai com Ele na oração, confiai n’Ele. Nunca vos trairá.”

5. Somos um elo na grande cadeia dos crentes
Jesus deixou-se na Eucaristia, sinal da sua presença e memória salvadora, e pediu aos Apóstolos e à Igreja que o recordassem sempre.
Nós estamos inseridos numa história grande, que vem de longe e que trespassa séculos, culturas, países. Estamos inseridos numa história de fé e de amor e de memória, que vem já do Antigo Testamento e assume em Jesus Cristo pleno e total cumprimento. Diz o Papa: “A vitória que nasce da fé é a do amor.”
Nós somos Igreja, família de famílias. “Não somos crentes isolados (…) somos um elo na grande cadeia dos crentes”, escreve Bento XVI. E tu, jovem amigo peregrino, nesta noite, sentes-te elo desta cadeia?
Esta pertença à Igreja, explicita o Papa, impele ao testemunho e à partilha da nossa fé: “Cristo não é um bem somente para nós mesmos, mas é o bem mais precioso que temos para partilhar.”
E pede o empenho directo dos jovens na missão da evangelização da Igreja: “Também, vós, se credes, se souberdes viver e dar testemunho da vossa fé, sereis um instrumento que ajudará outros jovens a encontrar o sentido e a alegria da vida.”

6. A Igreja conta convosco
Em lado nenhum está dito que é fácil seguir Jesus. Ele mesmo alertou para as perseguições, as dificuldades, as incompreensões que sofreriam os discípulos apenas por acreditar n’Ele. Diz o Papa: “A escolha de crer em Deus e segui-Lo não é fácil.”
O que está dito também é que quem segue Jesus tem a vida eterna, tem sentido, tem horizonte e tem meta.
É esta fé, no Mestre que chama continuamente tantos e tantos a segui-lo radicalmente que sois, amigos jovens, desafiados a testemunhar.
Aceitai do desafio de Cristo: “Vem e Segue-me”.
Aceitai também o desafio do Papa: “a Igreja conta convosco. Necessita da vossa fé viva, da vossa caridade criativa e do dinamismo da vossa esperança.”
Daremos, assim, ao mundo razões da nossa fé, em Cristo, no qual estamos firmados, edificados e enraizados!

Pe. JAC. 27 de Maio de 2011.

Descobrir o essencial!

Diante do Senhor que vem, reconhecemos que os nossos caminhos não são os seus (cf. Is 55, 9) e somos impelidos a converter-nos, a mud...