17 de fevereiro de 2009

Braga assinala 300 anos de Lausperene



A Arquidiocese de Braga vai assinalar, no próximo ano pastoral, os 300 anos da instituição do Lausperene Quaresmal com uma exposição eucarística itinerante e com diversos momentos celebrativos em todos os 14 arciprestados.
Este acontecimento, que foi abordado anteontem, na segunda parte do Conselho Arquidiocesano de Pastoral, vai permitir, segundo o cónego José Paulo Abreu, que todas as 551 paróquias da Arquidiocese se comprometam na iniciativa, seja colocando algum do seu espólio à disposição, seja ainda, participando em momentos de oração e celebração.
Em declarações ao Diário do Minho, o Vigário Geral da Arquidiocese de Braga confirmou que a iniciativa está a ser devidamente preparada com a finalidade de assinalar a data e sem esquecer a ligação ao triénio pastoral dedicado à Palavra de Deus.
Ainda sem grandes datas marcadas e sabendo-se apenas que a comemoração vai começar em Setembro, no início do ano pastoral 2019-2010, o cónego José Paulo Abreu fez saber que para substituir os encontros com São Paulo, orientados por D. António Couto, em quatro locais da Arquidiocese durante este ano, vai ser apresentada uma exposição eucarística em cada um dos arciprestados.
Para esta, as paróquias serão convidadas a disponibilizar algum do seu espólio artístico e litúrgico, como custódias, paramentos com símbolos eucarísticos, sacrários, cálices, patenas, cibórios entre outras peças que mantenham ligação ao Lausperene, como por exemplo, as tradicionais tribunas.
Estas mostras deverão estar em cada um dos arciprestados entre duas e três semanas e deverão contar com a participação de todos os cristãos, manifestando, por um lado, a fé e a devoção ao Santíssimo Sacramento e alimentando, por outro, um salutar bairrismo em visitar uma exposição que terá peças provenientes das paróquias de cada um.
A esta vertente mais cultural e artística deverá corresponder, segundo o capitular bracarense que é natural de Guimarães, um clima celebrativo em toda a Arquidiocese, valorizando-se particularmente a celebração da Palavra e a Eucaristia.
Neste sentido, pretende-se que as paróquias participem em momentos de oração comunitária, interparoquial ou arciprestal, seja preparando esses mesmos momentos, seja apenas marcando presença e rezando.
Finalmente, esta celebração dos 300 anos do Lausperene Quaresmal não pretende ficar alheia à dimensão da Palavra de Deus até porque o acolhimento da Boa Nova por parte dos cristãos também se faz na Eucaristia, o Santíssimo Sacramento.

Exposição do Santíssimo
e não exposição de flores

Como já se deu a entender, a instituição do louvor perene (Lausperene) deve-se à cúria e à solicitude de D. Rodrigo de Moura Teles que o estendeu a toda a Arquidiocese nos cerca de 28 anos em que foi Arcebispo de Braga e Primaz de Espanha.
Segundo Silva Araújo, num trabalho publicado a propósito do 3.º Congresso Eucarístico Nacional que se realizou em Braga em 1999, o Secretariado Permanente do Conselho Pastoral considerou os lausperenes «momentos de importância ímpar». A cadeia existente na Arquidiocese, acrescentou, «é um estímulo que terá de ser aproveitado, não para uma “exposição” de flores ou feira de vaidades», mas para educar e conduzir a um encontro transformante com Cristo.
O reitor da Basílica dos Congregados recorda ainda que «em vários locais, pondo de lado a respeitável tradição do adorno das tribunas, altas e distantes, decidiu-se expôr o Santíssimo em cima do altar», facto que considera mais correcto e mais respeitador das orientações do Magistério da Igreja.
Para Silva Araújo «o Lausperene deve ser vivido como momento forte de tomada de consciência do que a Santíssima Eucaristia é» e também de como se deve viver ao longo do dia. Além disso, a adoração prestada a Jesus persente na Eucaristia «deve ser um momento privilegiado para reflectirmos sobre o dever de eucaristizar a vida, vivendo-a em acção de graças e colocando-a ao serviço dos outros» conclui o texto de Sila Araújo.



Tradição enraizada
na cidade de Braga

Conservando-se a tradição cujo início remonta ao tempo de D. Rodrigo de Moura Teles (1704-1728), a abertura do Lausperene Quaresmal na cidade de Braga decorre como habitualmente na Quarta-feira de Cinzas, este ano no dia 25. Assim, neste dia na Sé Catedral, a partir das 8h30 começa o Lausperene que vai percorrer dezenas de igrejas principalmente do centro urbano da cidade (ver calendário nesta página). Pelas 21h30 tem lugar, também na Sé, a Eucaristia com a imposição das cinzas, assinalando o início da caminhada quaresmal.
A exposição do Santíssimo Sacramento para adoração dos fiéis é uma devoção com raízes profundas e assumida pelas diferentes comunidades paroquiais e religiosas de Braga.

Calendário
do Lausperene
de 2009

Fevereiro 25 – 26 Sé Primaz
27 – 28 Seminário Conciliar
Março 01 – 02 Misericórdia
03 – 04 Penha
05 – 06 Salvador
07 – 08 Santo Adrião
09 – 10 Cividade
11 – 12 Lapa
13 – 14 Asilo de S. José
15 – 16 Ferreiros e Terceiros
17 – 18 São João do Souto
19 – 20 São Lázaro
21 – 22 Santa Cruz
23 – 24 São Victor
25 – 26 Maximinos
27 – 28 Pópulo
29 – 30 Hospital
Abril 31 – 1 Carmo
2 – 3 Congregados
4 – 5 S. Vicente
6 – 7 Senhora-a-Branca
8 – 9 Instituto Mons. Airosa

Descobrir o essencial!

Diante do Senhor que vem, reconhecemos que os nossos caminhos não são os seus (cf. Is 55, 9) e somos impelidos a converter-nos, a mud...